10 dicas para combater o estresse

Isso pode ajudar, inclusive, no autocontrole, durante momentos de pico

 

Detalhes que você pode mudar em sua rotina em prol de uma vida mais equilibrada 1- Escreva ! · 60% a 90% dos processos de cura de doenças e do controle do estresse estão ligados à mente. Escrever aquilo que incomoda pode ajudar. Por meio da escrita é possível identificar os fatores estressantes. 2- Mude sua rotina! · O trânsito diário tira você do sério? Talvez a única solução seja experimentar outros horários. Não adianta lutar contra o imutável. As cidades não terão redução dos congestionamentos. 3- Administre seu tempo! · Faça uma avaliação séria e crítica sobre a rotina de trabalho. Faça uma conta simples: some as horas passadas no trabalho com aquelas de sono. Subtraia das horas do dia. O que sobrou é o seu tempo. Será que está reduzido demais? Tem gente que precisa agendar tudo. Até os momentos consigo mesmo. · Acrescentar na agenda o horário para descansar, relaxar ou ir ao cinema faz parte de um processo de organização interna também. 4- Relaxe! · A prática regular de alguma técnica de relaxamento tem efeitos profundos no sistema imunológico, além de ajudar a baixar a pressão arterial e a reduzir níveis altos de colesterol. · Atividades de relaxamento como a yoga, a meditação, o tai chi chuan, entre outros, podem contribuir para o equilíbrio da mente e do corpo. Assistir um pouco de tevê ou tirar uma soneca podem não ter o mesmo efeito do que vinte minutos de meditação, por exemplo. O relaxamento ajuda o organismo a voltar ao normal, depois de um dia de agitação. · Dá para reduzir a tensão por meio do relaxamento muscular progressivo. Posicione-se confortavelmente. Feche os olhos ou se concentre num espaço vazio à sua frente. Conte mentalmente três respirações. Cada vez que expirar, conte a respiração até atingir três. Concentre-se em contrair e relaxar os diversos músculos do corpo. Respire e relaxe, sempre. Aprenda, assim, a observar a diferença entre tensão e relaxamento. · Inicie contraindo os músculos da testa e gradualmente trabalhe até os dedos dos pés. Ao terminar, perceba cada músculo do corpo, deixando que se tornem mais macios e soltos. Ao respirar fundo, permita que o expirar e inspirar se mantenha de maneira profunda e rítmica, relaxando cada vez mais. · Colocar um CD, sentar numa poltrona e deixar o som entrar por cada poro pode ser bem relaxante. A música afeta diversos sentidos, além do auditivo. Estudos científicos demonstram que a música pode ajudar de maneiras diferentes -relaxando os músculos, diminuindo a sensibilidade a dor e diluindo emoções negativas. 5- Respire! · Outra maneira de acalmar a mente é por meio da respiração: expirar e inspirar são fundamentais. Isso pode ajudar, inclusive, no autocontrole, durante momentos de pico de estresse, quando a respiração se torna curta e ofegante. · Inspire lentamente, dilatando os músculos do abdômen como se fosse um balão. Muitas vezes é possível ver o abdômen se elevar. Após encher completamente os pulmões, segure a respiração por cinco segundos. · Expire devagar pelo nariz ou pela boca, comprimindo os músculos abdominais. Quando completar a respiração, inicie a seqüência novamente. Isso ajuda, também, a diminuir a ansiedade. 6- Sorria Mais ! · Gargalhar além de ser delicioso pode fazer um bem danado para o corpo. Muitas pesquisas têm sido feitas nessa área, em especial no que se relaciona aos neurotransmissores, secreções químicas do cérebro e algumas células nervosas, que recebem e transmitem mensagens entre si. Desta forma, a risada leva o cérebro a bloquear a produção de substâncias químicas que barram a imunidade, como a cortisona. Ou pelo contrário, pode aumentar a secreção dos hormônios causadores de bem-estar. Se isso já não bastasse, o gargalhada exercita uma série de músculos. E, ao parar de rir, a pessoa entre num estado de relaxamento, com redução dos batimentos cardíacos e do ritmo da respiração. Ou seja, rir é muito bom em todos os sentidos 7- Exercite-se! · A prática regular de uma atividade física ajuda -e muito-a reduzir os efeitos negativos do estresse no organismo. Seja para liberar a raiva acumulada, as tensões ou o excesso de adrenalina. · E para quem detesta academias, uma idéia é caminhar numa praça próxima, em ruas arborizadas, parques da cidade. O mínimo recomendado é três vezes por semana, por 20 minutos, de maneira vigorosa. Durante a atividade, o organismo libera substâncias que causam sensação de prazer. Além disso, a prática regular ajuda a dormir melhor, a ter mais pique no trabalho e dá mais vontade de cuidar de si mesmo, elevando a auto-estima e a autoconfiança. 8- Dedique-se a alguma coisa! · Passear num local com muito verde ou mesmo praticar a jardinagem ajuda no equilíbrio emocional e a canalizar os efeitos negativos do estresse. O cuidado com as plantas acaba se transformando numa terapia informal para aliviar também a ansiedade. · Mas o importante é cada um encontrar uma atividade prazerosa, como pintura, dança, canto, atividades voluntárias, culinária, etc. 9- Exponha-se ao SOL! · Sair para caminhar com a luz do Sol. Estimular caminhadas para curtir a claridade do Sol tem efeitos benéficos para crianças e adultos. A importância da luz no estado emocional das pessoas foi descoberta há mais de dois mil anos. A exposição à luz natural aumenta a resistência a doenças infecciosas, melhora as condições de trabalho e o humor. · Biologicamente, acredita-se que a falta de luz natural afete a atividade das células nas suas funções básicas. A luz auxilia na regeneração e reconstrução das células e é um fator decisivo no estado de espírito. 10 – Pensamento Positivo SEMPRE! · A maneira como se pensa tem uma influência poderosa sobre o corpo. E a mente determina a visão que cada um tem de si mesmo e do mundo ao redor. Transformar pensamentos negativos em positivos não é difícil. Só requer prática. · Identifique o pensamento que incomoda. Em seguida, comece a trabalhar o oposto deste pensamento. Por exemplo, ao pensar `eu não sou feliz`, o pensamento negativo provavelmente será `eu não mereço ser feliz, não sou uma pessoa de valor`. O oposto é `eu gosto de mim e me aceito como sou`. Uma boa forma de validar isso é associar este pensamento a experiências boas, felizes. Mudanças de padrões mentais podem ser o pontapé inicial para a promoção de uma grande mudança de estilo de vida. Fonte: belezaestetica

Deixe uma resposta