A importância do pré-natal

Recomendará dieta alimentar adequada e pedirá que a futura mamãe volte regularmente para acompanhamento

 

Chama-se pré-natal o acompanhamento de saúde da gestante que o obstetra faz desde os primeiros dias da gravidez até o momento do parto. Como a futura mamãe passa por alterações físicas e emocionais, nesse período, é importante que cuide de si mesma e do seu futuro bebê sob a orientação de um médico. Consultas ao médico Logo que se confirma a gravidez, a mulher deve iniciar seu pré-natal, pois, assim, compreenderá melhor o que se passa com seu corpo e ficará mais tranqüila. Na primeira consulta, o médico fará um exame clínico completo, inclusive avaliação ginecológica, e solicitará exames de laboratório. Recomendará dieta alimentar adequada e pedirá que a futura mamãe volte regularmente para acompanhamento do desenvolvimento do bebê. O intervalo entre as consultas deve ser de, no máximo, cinco semanas. No último mês, esse intervalo deverá ser semanal. Exames de laboratório Todos os exames solicitados pelo médico têm a finalidade de detectar algum problema materno que possa afetar a saúde do bebê. São eles: · Hemograma – para pesquisa de anemia · Teste ELISA – para pesquisa de AIDS · VDL – para pesquisa de sífilis · Exame de grupo sangüíneo e fator RH · Papanicolaou – para análise do colo do útero · Pesquisa de rubéola e toxoplasmose · Glicemia de jejum pós – dextrosol para pesquisa de açúcar no sangue · Exame de urina e urocultura – para pesquisa de infecção urinária e perda de proteína na urina · Exame de fezes – para pesquisa de verminose · Ultra-som – para avaliação do número de semanas da gestação e estado do feto. A partir do quarto mês de gestação, a ultra-sonografia consegue mostrar o sexo do bebê. Esse exame deve ser repetido mais vezes para que o médico possa acompanhar o desenvolvimento do feto. Orientações médicas para a gestante Ao longo dos nove meses de gestação, o obstetra orientará sua cliente sobre · Condições físicas – De acordo com os exames clínicos e exames de laboratório, indicará medicamentos convenientes. Nenhuma mulher deve auto-medicar-se. (Em caso de dores de cabeça ou gripe, deve telefonar para o seu médico). · Necessidade de vitaminas – Receitará suplementos vitamínicos que contribuirão para a saúde do bebê. · Dieta alimentar – Esclarecerá a gestante sobre dieta balanceada, de modo a manter o peso ideal. · Consumo de café, cigarros e álcool – Explicará os motivos da proibição de cafeína, fumo e bebidas, que podem prejudicar o bebê. · Combate ao estresse – Recomendará técnicas de relaxamento e cursos preparatórios para o parto natural. · Exercícios físicos – Aconselhará determinados tipos de ginástica e algumas atividades seguras, como caminhada e natação. · Preparo para o aleitamento e cuidados com a pele – Indicará cremes especiais para prevenir estrias no abdome e fortalecer o bico dos seios. SINAIS DE ALERTA – Em caso de emergência, como crises de pressão alta, cólicas, perda de sangue, dores lombares ou trabalho de parto prematuro, é preciso telefonar imediatamente para o médico. Recomendações Toda gestante deve: · Organizar uma pasta com todos os exames de laboratório em ordem cronológica · Guardar, em ordem, as receitas médicas, para seu próprio controle, no caso de precisar ser atendida por outro médico · Ter, sempre, à mão o seu cartão de acompanhamento pré-natal, preenchido com todos os dados. · Seguir, rigorosamente, a orientação médica. · Não faltar às consultas e exames marcados. TESTE DE RISCO FETAL – Modernamente, há exames de líqüido amniótico que podem ser feitos, entre a décima-quarta e décima-oitava semana de gestação, para verificar riscos de anomalias do bebê, como Síndrome de Down e más formações do tubo neural Fonte: APM

Deixe uma resposta