A uva vermelha e seus benefícios

A videira (vitis, da familia das vitáceas), trepadeira originária da região mediterrânea e do norte da Ásia, é cultivada

 

A videira (vitis, da familia das vitáceas), trepadeira originária da região mediterrânea e do norte da Ásia, é cultivada desde os tempos mais remotos. Seus frutos – as uvas – constituem excelente alimento de delicioso paladar, sendo consumida fresca, seca (sob a forma de passas), ou em suco, além de ser usada no preparo de vinhos e bebidas alcoólicas (conhaque, licores). A maior parcela da produção mundial destina-se ao fabrico de vinhos. Suas folhas e frutos contém ácido tartárico, bitartarato de potássio, quercitina, tanino, amilo, ácido málico, inosita, açúcar e cremor tártaro.

 Em estudos feitos na Universidade de Harvard nos Estados Unidos, descobriu-se que tomar meia taça de vinho tinto por dia, pode prevenir doenças do coração. Contudo não é o vinho tinto em si que faz bem, e, sim, os flavonóides (pigmentos encontrados na casca vermelha da uva vermelha). Os flavonóides aumentam as taxas de colesterol bom, o HDL, e ajudam a inibir a produção de substancias responsáveis pelo enrijecimento das artérias.

Se tomarmos um copo de suco de uva vermelha, também teremos o mesmo benefício de meia taça de vinho, com a vantagem do suco não ser alcoólico. Recentemente, foi constatado mais um benefício dessa fruta: suas sementes contêm um composto – chamado polifenol – eficaz para manter a pele jovem. As sementes passaram a servir de matéria prima para cremes e loções. O uso tradicional e o recomendado pelas recentes descobertas científicas mostram a importância da uva para nossa vida diária. Maria Lúcia S. Rodrigues – Grupo Samambaia Fonte: Clube Paulista de Jardinagem

Deixe uma resposta