A valorização do idoso na odontologia

Existem no Brasil hoje mais de 17 milhões de brasileiros na terceira idade, e com

 

Existem no Brasil hoje mais de 17 milhões de brasileiros na terceira idade, e com o aumento da expectativa de vida da nossa população, já comprovado estatisticamente, o número de pessoas nesta faixa etária tende a aumentar ainda mais. Segundo dados de entidades internacionais daqui a trinta anos dois terços dos atendimentos odontológicos realizados no mundo, estarão direcionados para a população acima de 65 anos . Estas pessoas estão em busca de uma melhor qualidade de vida em todos os sentidos, e a sua saúde bucal não seria uma exceção. Homens e mulheres idosos com uma boa saúde geral, estão cada vez mais participantes, das mais diversas atividades profissionais ou sociais. Daí vem a necessidade de se sentirem seguros com o seu sorriso, capacidade de mastigação e fala e o conforto da boca de uma forma geral. Uma especialidade Odontológica, denominada odontogeriatria ou odontogerontologia, tem se preocupado em valorizar o atendimento direcionado a este segmento da população. O dentista odontogeriatra deve ter consciência das alterações decorrentes da senescência (envelhecimento sem patologia); como perda de massa muscular, enfraquecimento do sistema imunológico, diminuição do estímulo da sede e declínio da aqüidade visual.

 

Deve também, saber lidar com situações patológicas como osteoporose, diabetes, artrites, hipertensão, doenças cardiovasculares e declínio da coordenação motora . É muito importante que o odontogeriatra esteja sempre atento aos relatos e sinais do seu paciente da 3ª idade e tenha um contato próximo com outros profissionais que cuidam do seu paciente em especial o geriatra ou clínico geral. Em casos de implantes dentários por exemplo, cita o Dr. Marcus, o diabete, osteoporose ou alterações cardiovasculares estariam entre fatores que contra-indicariam este procedimento em pacientes idosos. Além dos aspectos citados o Dr. Marcus Werneck ressalta que o consultório para atendimento direcionado à pacientes idosos deve contar com várias facilidades de acesso para o idoso debilitado e todos os equipamentos necessários a qualquer tipo de tratamento, seja ele uma simples profilaxia com ensino de técnicas de higienização adequadas, até os procedimentos mais complexos como tratamentos das gengivas, restaurações estéticas, próteses ou implantes. Deve ser ressaltado ainda, que tanto o profissional como suas auxiliares atuem de forma a humanizar ao máximo o atendimento clínico dos pacientes. Tentando com isso desmistificar traumas, trazidos muitas vezes por décadas, e que podem ser desfeitos com um bom diálogo e uma boa dose de carinho e atenção de todos que compõem a equipe de atendimento na clínica. Fonte: Dr. Marcus Werneck

Deixe uma resposta