Acabe com o sedentarismo!

Contribui para a produção de endorfina, que combatem

 

“O corpo humano, da mesma forma que necessita de nutrientes, sono e repouso, necessita também de exercícios físicos. O excesso ou a carência destas necessidades faz com que todo o organismo se desequilibre, e onde há falta de equilíbrio há também falta de bem-estar pessoal “Kenneth Cooper”. Para funcionar adequadamente, o nosso corpo precisa de movimento. A atividade física regular aumenta a taxa de renovação dos tecidos, retarda o envelhecimento, diminui a taxa de gordura circulante, melhora a coagulação sanguínea, torna mais eficaz a troca de gases nos pulmões e facilita a mineralização dos ossos. Contribui para a produção de endorfina, que combatem a ação da adrenalina, gerada pelo estresse do cotidiano. Além disso, aumenta as defesas do organismo, controla o peso corporal, melhora o desempenho do sistema cárdio-respiratório e o desejo sexual. Por outro lado, podemos afirmar que o sedentarismo impacta negativamente na saúde das pessoas e na produtividade das empresas. Pessoas fisicamente ativas vivem mais e tem mais disposição, maior capacidade de trabalho e de concentração. Trabalhos científicos realizados nos “kibutzim” de Israel demonstraram duas vezes mais problemas cardíacos nas pessoas que trabalham em escritórios do que nos lavradores. Após examinarmos mais de 25.000 executivos (homens e mulheres) em nossas clínicas, ficamos assustados com o elevado percentual de sedentários desta população: cerca de 65%! A caminhada é, dentre as atividades físicas, uma das mais simples e eficazes de ser feita. Caminhar é fácil, pois é um movimento natural, não apresenta risco de traumas, pode ser feita em qualquer lugar e não exige horário e nem equipamento especial. É um ótimo exercício como opção de condicionamento físico por trabalhar o sistema cardiovascular com eficiência, porém, exige – como outros esportes – um planejamento adequado para alcançar resultados sem riscos de danos à saúde. A atividade física não é uma vacina contra doenças, entretanto, transmite ao corpo condições para enfrentá-las com mais resistência. A fim de estimular a atividade física de maneira prazerosa, gostaríamos de fazer algumas sugestões… Naturalmente, não é nossa pretensão torná-lo um atleta, mas sim provocá-lo ao exercício dosado e adequado, objetivando o seu bem-estar pessoal: . Antes de realizar atividades físicas de qualquer natureza, procure realizar os alongamentos, respeitando o seu grau de flexibilidade de forma relaxada e confortável, não forçando seus limites. Respire, calma e ritmadamente, durante todo o tempo, não retendo a respiração. Comece e termine o alongamento lenta e cuidadosamente, e nunca se balance ao atingir a posição extrema possível do alongamento. . Nas primeiras duas semanas, caminhe a passo normal, pelo menos durante 30 minutos, em dias alternados, para o seu corpo se adaptar ao exercício. . Aumente a intensidade do exercício – na distância ou na velocidade das passadas – até alcançar sete quilômetros em uma hora, considerada uma excelente média! Esta meta deverá ser alcançada, inicialmente, aumentando o tempo de exercício em dez minutos semanalmente, até atingir 60 minutos em três semanas. A seguir, aumente a velocidade das passadas até completar os sete quilômetros previstos em uma hora. . Durante o exercício, se certifique que a sua freqüência cardíaca esteja 80% da máxima prevista (a freqüência cardíaca máxima é obtida subtraindo a idade de 220). Por exemplo, para um homem ou uma mulher com 40 anos de idade, a freqüência cardíaca máxima é de 180 e a ideal, 144 batimentos por minuto. . Faça uma avaliação médica completa antes de iniciar a atividade física para conhecer seus limites cardiorrespiratórios e músculo–esqueléticos. . Mantenha o ritmo alcançado durante quatro ou cinco vezes por semana. . Não interrompa o trabalho físico por mais de cinco dias, senão os ganhos serão cancelados! . Não seja um atleta de fim-de-semana… . Hidrate-se antes e depois do exercício físico. Suco de fruta é uma excelente opção! . As grandes refeições, como o almoço e o jantar, devem ser feitas, no mínimo, duas horas antes e uma hora após os esforços físicos. . Não pare abruptamente as atividades físicas. Mantenha-se em movimento até que a freqüência cardíaca volte ao nível próximo ao de repouso. . Use roupas leves e calçados confortáveis. Evite plásticos e roupas colantes ou apertadas. . Considere os exercícios tão importantes quanto à alimentação e o repouso. . A presença de dor – de qualquer natureza – durante o exercício é razão suficiente para interrompê-lo. Procure seu médico para uma avaliação e possíveis orientações. . Evite choques térmicos – sair do Sol e entrar na água do mar ou tomar uma ducha de água fria depois de qualquer atividade física pode trazer alguns transtornos… E, finalmente, não se deite quando puder sentar. Não se sente quando puder ficar em pé. Não fique em pé parado quando puder se movimentar. Seja ativo! A única maneira de se conservar ativo é ser ativo! * Elisabete Fernandes Almeida é escritora e editora médica com especialização em Projetos de Educação Médica Continuada. É presidente da Latin-Med Editora Médica, editora médica da Conexão Médica, diretora do departamento de Educação Médica para Leigos da Associação Paulista de Medicina e atua em vários sites médicos.

Deixe uma resposta