Algumas características do feto no útero materno

Os rins começam a funcionar, mas sem a função excretora típica . Durante o quarto mês a mãe começa

 

Durante nove maravilhosos meses, a mulher experimenta uma explosão de emoções e sensações que jamais sentiu. Algumas características do feto no útero materno: AOS 2 MESES: . Acentuado crescimento e desenvolvimento do cérebro . Já se divisam com nitidez os olhos . Já se visualizam braços, pernas e sulcos precursores dos dedos . Os primeiros centros de ossificação aparecem nesse período . Nessa fase, o feto mede uns 2,5 cm de comprimento e pesa aproximadamente 1 grama ou pouco mais . No fim de 2 meses se estabelece em definitivo o padrão da formação de órgãos AOS 4 MESES: . A pele é finíssima, desprovida da camada gordurosa subcutânea . Essa condição de transparência dá ao feto a cor vermelha característica, correspondente à rede capilar e a tecidos irrigados de sangue . Os rins começam a funcionar, mas sem a função excretora típica . Durante o quarto mês a mãe começa a perceber os movimentos fetais . No quarto mês o comprimento é de uns 20 cm e o peso de aproximadamente 200 gramas AOS 8 MESES: . Com 8 meses, o feto mede uns 45 cm e pesa aproximadamente 2,5 kg . O feto é considerado viável, porque todos os aparelhos estão suficientemente desenvolvidos para garantir a sobrevivência . Nos 2 últimos meses o comprimento do feto supera o do útero, o que justifica a característica posição de Buda: cabeça inclinada sobre o tórax, braços cruzados diante do tronco e pernas dobradas e cruzadas . Somente ao fim de 9 meses, o feto alcança plena maturidade, com recursos ótimos de sobrevivência para a vida extrauterina, terá um comprimento médio de 50 cm e um peso variável entre 3 e 3,5 kg COMO SE CUIDAR NA GESTAÇÃO: Quando a mulher fica grávida, é comum receber sugestões de como agir para levar a termo uma boa gestação. Abaixo algumas dicas que ajudam bastante mas não substituem a orientação médica: TRABALHO: A mulher grávida pode trabalhar enquanto se sentir bem, mas não deve ter vergonha de agendar intervalos para se alimentar e reivindicar a melhor cadeira do escritório. A permissão não vale para gestações de risco ou quando a mulher trabalha num ramo de atividade que a exponha a contaminações, como o setor químico. GINÁSTICA: Todo mundo precisa de atividade física, grávidas inclusive. Para evitar abusos, existem diversos cursos especializados para gestantes. Uma novidade que chegou com cara de modismo mas provou ser excelente recurso para relaxar os músculos e ativar o fluxo sangüíneo é a hidroginástica. ÁLCOOL: O álcool faz mal ao feto quando consumido em grande quantidade, quando também estará fazendo mal à mãe. O ideal é não consumir bebidas alcoólicas durante o período de gestação. CIGARRO: O ideal é parar imediatamente. Entre inúmeros males, os compostos tóxicos do cigarro aumentam em 150% os riscos de aborto, a nicotina acelera o batimento cardíaco do feto e faz baixar o peso do recém-nascido. REMÉDIOS: Não tome nada sem falar com seu médico, nem mesmo quando estiver com dor de cabeça. ENJÔOS: Acontecem em virtude de alterações hormonais. O truque é comer quantidades menores, diversas vezes ao dia, e evitar líquidos durante as refeições. SEXO: Se a gravidez é normal, o que acontece na maioria dos casos, o sexo durante a gravidez não coloca em risco o bebê. A gestação de risco exige mais cautela. Fonte: Dr. Nevton Valdir Bringmann

Deixe uma resposta