Alguns alimentos contribuem para disseminação do vírus da herpes

Chocolate, milho, coco, massas, amendoim e nozes contribuem, entre outros, para os efeitos do vírus da Herpes.

 

Ainda quando criança algumas pessoas têm o primeiro contato com o vírus da Herpes. Transmitida pelo contato direto de uma lesão infectada de um indivíduo para a pele ou mucosa de outro não infectado é uma doença na qual a pessoa pode ter o vírus no corpo, mas ele pode não se manifestar imediatamente. O vírus fica adormecido nas células e através de alguns fatores como baixa imunidade e alimentação pode ser reanimado, provocando os sintomas da Herpes. Ao entrar nas células, através das moléculas dos alimentos, determinados grupos oferecem um “banquete” para este vírus, podendo até mesmo agir como vilões e assim ampliá-los. Alguns alimentos são capazes de refrear ou estimular o vírus. Chocolate, milho, coco, massas, amendoim, nozes, aveia, cevada e couve de bruxelas possuem em sua composição Arginina.

 

Trata-se de um aminoácido que atua em vários mecanismos do organismo, como divisões de células e remoção de amônia do corpo, mas seu consumo em excesso afeta o vírus. Já os alimentos ricos em Lisina como queijos, ovos, peixes e lacticínios em geral estimulam a “morte”, ou “hibernação” do vírus, criando uma espécie de capa protetora em torno dele. Por meio da Lisina, o corpo passa a produzir enzimas, hormônios e anticorpos, que passarão a combater a doença. Vale ressaltar que entre a Lisina e a Arginina que será determinado se o vírus será produzido pelo corpo. A quantidade destes componentes nas células afetadas com o vírus, poderá desencadear ou não a doença, logo, é aconselhável comer alimentos ricos em Lisina e diminuir o consumo de alimentos que possuem Arginina. Lembrando que nem todas as pessoas que tem Herpes desenvolvem doença após comerem alimentos ricos em Arginina. Contudo, se elas estiverem com o vírus, devem evitar comer certos tipos de alimentos pois os mesmos propagam a Herpes. Fonte: eagora.com.br

Deixe uma resposta