Anemia em crianças e adolescentes

A deficiência de ferro pode levar a alterações da pele , e mucosas ,gastrintestinais, peso baixo

 

A Anemia Nutricional , que é freqüentemente encontrada em nossas crianças e adolescentes e que tanta preocupação provoca nos pais e familiares destes é definida pela Organização Mundial de Saúde , como sendo a condição na qual o conteúdo de hemoglobina (elemento do sangue ) está abaixo dos valores considerados normais para a idade, o sexo, o estado fisiológico e altitude, sem considerar a causa da deficiência. A deficiência de ferro pode levar a alterações da pele , e mucosas ,gastrintestinais, peso baixo para a idade, redução do trabalho e da função imunitária . A anemia também prejudica o desenvolvimento físico motor, psicológico, cognitivo e de linguagem. O déficit de ferro processa-se no organismo em três estágios: No primeiro estágio, ocorre diminuição da ferritina sérica, elemento do sangue que está diretamente relacionado com as reservas de ferro. No segundo estágio –a diminuição fica por conta da concentração de ferro sérico e aumento da capacidade de ligação do ferro. Terceiro estágio-restrição da síntese de hemoglobina, instalando-se a Anemia. Na Anemia Ferropriva (baixa de ferro) , as hemácias que eram normocíticas e normocrômicas sofrem alterações morfológicas , tornando-se microcíticas e hipocrômicas. Nas anemias de doença crônica o valor está entre 30 e 400. O valor da Ferritina Sérica pode ter aumento de duas a quatro vezes na presença de infecções e processos inflamatórios , o que faz diminuir o seu valor diagnóstico. É necessário que seja excluído esta hipóteses diagnóstica nos lactentes , através da verificação da Proteína C- reativa, que sendo uma das proteínas da fase aguda, aumenta também rapidamente sua concentração na presença de infecções ou inflamações, facilitando o diagnóstico . Fatores Determinantes da Anemia: a)Indivíduos de Risco: •Prematuros e Recém Nascidos de baixo peso •Lactentes no 1º semestre de vida quando não são alimentados ao seio , mais com leites industrializados •Lactentes a partir dos 6 meses quando não é incluído alimentos ricos em ferro em sua alimentação •Adolescentes com dieta pobre em ferro •Gestantes com alimentação deficiente em ferro •Adultos deve-se com grande freqüência z perdas sanguíneas geralmente crônicas e ocultas, fluxo menstrual excessivo e as hemorragias digestivas b)Situações de Risco Introdução precoce de alimentos nos seis primeiros meses de vida Alergia ao leite de vaca ou soja Ancilostomíase (parasitose intestinal) Uma alimentação qualitativa e quantitativamente inadequada Condições sócio- econômica baixa Família numerosa com grande número de crianças . Consumo Alimentar e Anemia: A dieta inadequada em ferro é um dos fatores que predominam como causa de Anemia Nutricional A deficiência de Ferro durante a gestação principalmente no último trimestres, aumenta o número de nascimentos prematuros e de baixo peso. Entretanto a quantidade de ferro na criança ao nascer independe do estado da mãe em relação a este mineral, com exceção dos casos de deficiência materna muito grave. Os lactentes tem suas reservas de ferro com que nascem esgotadas a partir de seis meses de idade , ficando bastante vulnerável ao desenvolvimento de anemia.Até os seis meses o aleitamento materno exclusivo atendem às necessidades fisiológicas da criança, não necessitando de qualquer forma de complementação e nem de introdução de alimentos sólidos. Os prematuros por terem seu crescimento muito rápido desenvolverão obrigatoriamente anemia se não receberem ferro medicamentoso . Nos dois primeiros meses de vida, ocorre uma queda acentuada na concentração de hemoglobina, sendo os valores mais baixo entre seis a oito semanas e, paralelamente , um aumento na mobilização das reservas de ferro, é a chamada Anemia Fisiológica do Lactente. Dos 6 -12 meses, as necessidades de ferro por peso corporal se encontram bastante elevadas. Aproximadamente 30% do ferro necessário , deve ser proveniente do consumo alimentar. O ferro apresenta-se nos alimentos sob duas formas Heme e Não Heme: O ferro heme, é o presente nas carnes e vísceras, tem uma biodisponibilidade bastante elevada, não estando exposto aos fatores inibidores O ferro Não Heme , encontramos nos cereais e nas hortaliças, ao contrário do ferro animal, é absorvido em apenas 10% pelo organismo. Os Fatores facilitadores e Inibidores da absorção de ferro: Promotores da Absorção do Ferro Não Heme: c)Carne-incluindo a carne do boi, galinha, peixe, bode, fígado e porco , aumentam o estado de ferro por suprir alta disponibilidade de ferro heme e aumentar a absorção de ferro não heme. Quando o Ácido Ascórbico (sucos de frutas cítricas) é adicionado à refeição ó efeito é mais rápido da absorção do ferro d)Vitamina C Efeito Inibidor: fitatos, taninos, cálcio, fosfatos, ovos ( presença de fosfoproteínas, tanto na gema como na clara, possuem efeito inibidor) e outros alimentos , têm um efeito inibidor, por formarem precipitados insolúveis com o ferro, dificultando à absorção. O cereal integral tem seu efeito inibitório por ter em sua composição os fitatos A Anemia e o Estado de Nutrição: O baixo peso ao nascer , é considerado um determinante de anemia principalmente no primeiro ano de vida. Esta anemia surge em virtude de que mesmo acriança de pré-termo ou de baixo peso ao nascer possua em média a mesma quantidade de ferro /kg de peso de uma criança nascida a termo, o total de ferro de reserva é menor e sua taxa de crescimento pós natal é mais acelerada, isto pode acarretar uma instalação de anemia e dependência mais precoce de fontes exógenas de ferro. A Desnutrição também funciona como fator de risco para o aparecimento de Anemia Ferropriva. A deficiência de Vitamina A também pode está associada a um quadro de Anemia. Anemia quanto a Faixa Etária: A incidência de Anemia Ferropriva é maior na crianças de 6 meses a 2 anos, acredita-se que o crescimento e o desenvolvimento acelerados nesse período determinem uma necessidades de ferro em maior quantidade A partir dos 2 anos , a incidência de anemia tende a cair de forma linear. Na Adolescência em conseqüência ao surto de crescimento nesta fase e, o consumo de dietas inadequadas podem desenvolver uma Anemia. Durante a Puberdade , os valores de Ferritina Sérica aumentam no Sexo Masculino, em quanto que no Sexo Feminino esses valores continuam estáveis durante a adolescência e na vida adulta . TRATAMENTO: A administração do ferro medicamentoso deve ser feita longe das refeições , por ter melhor absorção e se possível com suco de laranja ou outra fruta cítrica, o leite não deve ser dado próximo das refeições , para que a absorção do ferro não sofra interferência do cálcio. As dietas devem ser ricas em carne, fígado, frango, peixe, folhas verdes (agrião, couve, jambú, beterraba, abóbora , adicionado sempre frutas cítricas (limão, laranja , acerola etc. ) O enriquecimento do leite em ferro tem comprovação eficaz na redução da anemia. Dra. Maria Ivone Oliveira Médica Pediatra Coordenadora do Programa de Adolescência da URE Materno Infantil. Membro do departamento de Adolescente da SPP e-mail:marivone@amazon.com.br

Deixe uma resposta