Bexiga hiperativa: tudo o que você precisa saber

Enquanto a bexiga enche, ela deve ficar relaxada

 

 Bexiga hiperativa é uma alteração funcional da bexiga, caracterizada por alguns sintomas típicos como: polaciúria (urinar mais de 8 vezes por dia), urgência (quando a pessoa sente um desejo forte e imediato urinar, o que tem que ser feito imediatamente) e urge-incontinência (a pessoa sente urgência e caso não urine rapidamente, pode perder urina na roupa). Para ter bexiga hiperativa, o indivíduo pode apresentar um ou mais desses sintomas. O que ocorre com o organismo na bexiga hiperativa? Enquanto a bexiga enche, ela deve ficar relaxada, só contraindo na hora da micção, mas nas pessoas com bexiga hiperativa o músculo detrusor (que é o músculo da bexiga) faz contrações fora de hora, durante o enchimento. Essas contrações aumentam a pressão dentro da bexiga e isso leva a uma sensação de urgência. Dependendo do grau dessa pressão, pode ocorrer perda de urina. Outros sintomas comuns: Clinicamente, a bexiga hiperativa pode apresentar-se como: Além da polaciúria (urinar mais que 8 X/dia), urgência e urge-incontinência citados acima, a pessoa com bexiga hiperativa pode também ter noctúria, ou seja, acordar mais de 2 vezes à noite para urinar. Prevalência A bexiga hiperativa acomete 43% da população, dependendo da faixa etária, aumentando conforme a idade. Os sintomas mais encontrados são polaciúria (cerca de 80%) e urgência (cerca de 60%). Como Tratar? O tratamento pode ser medicamentoso, mas medidas comportamentais e técnicas terapêuticas específicas também trazem bons resultados. Medidas comportamentais:

 

1) Controle da dieta: eliminar ou reduzir a ingestão de alimentos ou de bebidas que irritam a bexiga, como: chá, café e bebidas com cafeína em geral, álcool, cítricos (bebidas e frutas), tomate e produtos a base de tomate, alimentos muito condimentados ou ácidos e adoçantes artificiais. 2) Manter a regularidade do funcionamento do intestino: o intestino preso pode aumentar a pressão sobre sua bexiga, gerando efeitos negativos na função urinária. 3) Manter um peso corporal adequado: sobrepeso ou obesidade provocam aumento da pressão sobre a bexiga, o que contribui para adquirir problemas urinários. 4) Parar de fumar: o fumo é irritante para a bexiga, além de provocar tosse, o que aumenta constantemente a pressão abdominal, favorecendo a problemas de controle urinário. 5) Beber de 6 a 8 copos de líquidos que não causem irritação, para a urina não ficar muito concentrada e não irritar a bexiga. 6) Treinar a bexiga: tentar controlar a urgência aumentando o intervalo entre as micções gradualmente. 7) Fazer fisioterapia para reabilitação do assoalho pélvico, que com eletroestimulação pode diminuir essas contrações involuntárias da bexiga. 8) Procure ajuda médica para saber o que é melhor para você. Fonte: www.mulhersaudavel.com.br/ Autor: Redação Mulher Saudável

Deixe uma resposta