Brotoejas: como evitá-las

Apesar de menos freqüente, a brotoeja também pode acometer os pais. “Nos adultos, a excreção é mais

 

Fim de semana planejado há semanas. Casa na praia, dias ensolarados, família. Tudo parece estar perfeito até que o seu filho começa a ficar irritado e chorão. Sim, as famosas brotoejas, aquelas erupções vermelhas, sobretudo no rosto, pescoço, ombro, barriga e peito, o pegaram. A brotoeja, chamada cientificamente de Miliária, é provocada pelo suor e pela obstrução ou inflamação das glândulas sudoríparas. Dessa forma, a transpiração não chega até a superfície da pele, causando irritação, freqüentemente com coceira. “As brotoejas aparecem mais no calor, mas pode acontecer também no inverno”, diz o Dr. José Roberto Lutti Filho, clínico geral. “Isso acontece quando as mães superaquecem os bebês com roupas ou excesso de calor em ambientes climatizados”, completa o médico. Apesar de menos freqüente, a brotoeja também pode acometer os pais. “Nos adultos, a excreção é mais adequada, mas, com a sudorese abundante, na prática de exercícios, por exemplo, pode ocorrer”, diz o dermatologista Sérgio Delort. O tratamento das brotoejas, em geral, acontece de maneira simples. “Na maioria dos casos, pastas d´águas e calaminas são o suficiente”, avalia Dr. Sérgio. Porém, o dermatologista alerta que, quando a coceira for forte ou tiver infecção com pus nos locais das lesões, é hora de procurar um médico. “O principal problema da brotoeja é a possibilidade de infecção bacteriana, causada pelos estafilococos”, diz o dermatologista. Assim como a maioria das mamães, Cássia Sanchez, sofreu com as brotoejas de Rafael e Pedro. “Não cheguei a levá-los ao médico, mas apelei à velha e boa receita de mãe. Coloquei maisena na água do banho dos meninos e as erupções melhoraram”, diz a supervisora de priecing. “Soluções caseiras servem nos casos mais leves”, alerta Dr. Sérgio. Fique ligada Segundo o Dr. Sérgio Delort, há três tipos de brotoeja. Conheça: 1-miliaria cristalina (também chamada de sudamina) – é assintomática e as vesículas (pequenas “bolhinhas”) são cristalinas. Nesta forma, a obstrução é superficial. 2-miliaria rubra (brotoeja) – obstrução mais profunda e as “bolhinhas” são avermelhadas e dão coceira na criança. 3- miliaria profunda ou periporite – a obstrução é bastante profunda e, freqüentemente, é acompanhada de infecção por bactérias. Nestes casos é hora de procurar um especialista. Dr. Sérgio Delort

Deixe uma resposta