Câncer na boca poderia ser evitado

Visitas regulares ao dentista podem evitar que pacientes descubram a doença tarde demais. O câncer de boca

 

 

Visitas regulares ao dentista podem evitar que pacientes descubram a doença tarde demais. O câncer de boca está entre os seis tipos da doença que mais afetam homens no Brasil. Nos Estados Unidos, a cada ano são diagnosticados 30 mil novos casos e registrados 8 mil óbitos. “Quando diagnosticado em estágio inicial, entretanto, as chances de cura estão entre 80% e 90%”, diz o ortodontista Ivan Valle, diretor do Oralface Institute. Segundo o especialista, um dos principais problemas enfrentados pelos doentes é que a grande maioria descobre a doença em estágio avançado, já que só se preocupa em visitar o dentista quando não agüenta mais de dor de dente. “O brasileiro cuida muito pouco da boca, quando comparado com outros povos.

 

O câncer de boca deve ser uma preocupação principalmente para quem passou dos 40 anos, fuma cigarro ou cachimbo, bebe com freqüência ou tem casos da doença na família. Próteses mal ajustadas, que provocam lesões permanentemente, também representam risco”. De acordo com a Fundação Americana de Câncer Oral, quem cultiva os dois vícios – fumar e beber – tem quinze vezes mais chances de desenvolver esse tipo de câncer. Negros estão duas vezes mais propensos à doença do que brancos e homens também são duas vezes mais vulneráveis que mulheres. “O principal é conscientizar a população de fazer o auto-exame bucal a cada seis meses e visitar o dentista anualmente”, diz Valle, chamando atenção para os principais sinais que se deve pesquisar diante do espelho, com a boca bem aberta: 1. Mudança na cor da pele e mucosas 2. Partes endurecidas 3. Caroços e abcessos 4. Feridas que não cicatrizam dentro de 14 dias 5. Inchaços 6. Áreas dormentes 7. Dentes amolecidos 8. Dificuldade em engolir, falar ou mastigar. Fonte: Dr. Ivan Valle, radiologista e ortodontista, diretor do Oralface Institute

Deixe uma resposta