Chapinha – quem resiste?

É uma questão cultural. A mulher brasileira adora e sonha com um cabelo longo

 

 

É uma questão cultural. A mulher brasileira adora e sonha com um cabelo longo e super liso. Para alcançar este ideal de beleza vale tudo, desde relaxamento, alisamento, escova definitiva, escova progressiva que são tratamentos que usam química. Quando aplicados de forma inadequada danificam completamente o cabelo e só um bom corte e a ação do tempo poderá restabelecer a beleza e saúde do fio. Muito popular é o uso da prancha ou da chamada chapinha, que pela ação intensa e concentrada do calor alisa instantaneamente o cabelo. O efeito é imediato, mas sai na primeira lavada. Tem a vantagem de não usar nenhuma química, porém usado de maneira inadequada pode “fritar” e destruir o cabelo do mesmo jeito que os produtos químicos.

 

O manuseio da prancha requer cuidados especiais. O ideal é proteger o cabelo com inúmeros produtos termo ativos, que com a ação do calor hidratam e protegem o fio do cabelo. A escolha do modelo da prancha também é importante. Dê preferência àquelas que tem revestimento de cerâmica. Conversamos com o cabeleireiro Alexandre Fontanini do salão De La Lastra em São Paulo, que recomenda que a prancha seja usada por um profissional para evitar manuseio inadequado e danos ao cabelo, mas se você não resistir em de utilizá-la em casa, confira as dicas de Alexandre: Principais cuidados: 1. A prancha deve ser aplicada dá raiz à ponta do cabelo em um movimento continuo, sem qualquer interrupção. Não deixe-a parada. Esta é a principal dica de Alexandre; 2. Passe no máximo duas vezes em cada mexa; 3. Não use a prancha diariamente, ela acabará danificando o cabelo, no máximo uma vez por semana; 4. aplique produtos termo ativos que protegem o cabelo antes de passar a prancha; 5. Faça uma boa hidratação semanal; 6. Uma vez por mês faça uma reconstrução capilar, Alexandre recomenda um mínimo de três aplicações, uma a cada mês; Fonte Wmulher

Deixe uma resposta