Clamídia: doença sexualmente transmissível

A clamídia é transmitida através de contato com

 

a. O que é Clamídia? Clamídia é uma bactéria que causa uma Doença Sexualmente Transmissível (DST). Homens e mulheres podem contrair Clamídia. A maioria dos casos se apresenta em mulheres, principalmente mulheres com idades até 24 anos. O colo do útero de mulheres jovens é mais vulnerável à Clamídia que o colo do útero de mulheres mais velhas. 1. Como a Clamídia é transmitida? A Clamídia é transmitida através de contato com uma pessoa infectada durante sexo vaginal, anal ou oral. 2. Quais são os sintomas da Clamídia? Muitas pessoas com Clamídia não apresentam sintomas, especialmente as mulheres. Quando eles aparecem, as mulheres podem observar corrimento vaginal, dor ou sangramento durante ou após relações sexuais, e dor ou ardência ao urinar. Os homens podem apresentar corrimento grosso e amarelado ou esverdeado, e dor ou ardência ao urinar. A infecção por Clamídia do ânus pode causar dor, sangramento, pus ou corrimento, ou constipação. Se você acha que foi exposto a Clamídia seu médico poderá fazer os exames necessários para saber se você está infectado, até mesmo se você não apresentar os sintomas. Mesmo que você não apresente sintomas, dê a chance para que o seu médico descubra infecções que não apresentem sintomas. Esta é a verdadeira razão dos exames de rotina.

 

3. Como a Clamídia é tratada? A Clamídia é tratada com antibióticos, e geralmente, em dose única. Como o risco de reinfecção é alto, mulheres devem refazer o exame 3 a 4 meses após terminar o tratamento. É possível que uma pessoa seja re-infectada caso seja novamente exposta à Clamídia. 4. O que acontece se a Clamídia não for tratada? Se a Clamídia não for tratada ela pode causar dores fortes e danos irreversíveis ao sistema de reprodução, podendo ainda, provocar a infertilidade em homens e mulheres. Em mulheres, a Clamídia pode causar doença inflamatória pélvica (DIP). A DIP pode não apresentar sintomas. Mas quando eles aparecem, podem incluir dor no baixo ventre, câimbra, ardência ao urinar, dor ou sangramento durante ou após relação sexual, corrimento vaginal, tontura e vômito, e febre. Se não for tratada a DIP pode tornar a gravidez difícil ou até impossível. Ela pode, ainda, causa gravidez tubária e dores no baixo ventre a longo prazo. Assim como outras DTS, a Clamídia não tratada aumenta a probabilidade de uma pessoa ser infectada ou infectar a outros com o vírus da AIDS, o HIV. Se você tiver algum sintoma ou achar que foi exposto à Clamídia, faça o teste e o tratamento imediatamente para evitar complicações. 5. Os parceiros sexuais também precisam fazer o tratamento? Sim. Se o diagnóstico der positivo para Clamídia, é importante avisar a todas as pessoas com quem você teve relações sexuais nos últimos 02 meses para que elas também façam os exames médicos e sejam medicadas. Tome todos os medicamentos indicados até o fim do tratamento mesmo se você melhorar antes de terminar. Não faça sexo sem camisinha até que as pessoas com quem você mantém relações sexuais tenham feito o tratamento completo e os sintomas tenham desaparecido, caso contrário você poderá ser infectado novamente. 6. E se eu estiver grávida? A Clamídia não tratada durante a gravidez pode causar dificuldades no parto ou ainda parto pré-maturo. No recém-nascido ela pode provocar infecção nos olhos e nos pulmões. Todas as mulheres grávidas devem fazer, o quanto antes, os exames médicos de doenças sexualmente transmissíveis (DST), inclusive o de HIV/AIDS. Você deverá refazer o teste durante a sua gravidez caso você tenha alto risco de contrair uma DST. DTS não tratadas podem ser muito perigosas. Use camisinha de sempre que fizer sexo. 7. Como posso evitar a Clamídia? Use camisinha sempre que fizer sexo vaginal, oral ou anal. Se você for alérgico a látex, pode utilizar camisinhas de poliuretano ou outros materiais sintéticos. Fonte: Department of Health and Mental Hygiene, New York City Government – 12/2003

Deixe uma resposta