Conhecimento e consumo de alimentos diet e light por adolescentes

Alimentos dietéticos e light podem ser encontrados facilmente nas prateleiras dos supermercados e utilizados por pessoas que precisam ou não de tais produtos. Este estudo teve por objetivo verificar o conhecimento de alimentos

dietéticos e light, bem como o seu consumo por adolescentes, e seu estado nutricional. Aplicou-se em 382 adolescentes de 11 a 18 anos, um questionário para identificar o conhecimento e hábito de consumir os produtos, e medidas antropométricas para classificar a condição nutricional segundo o Índice de Massa Corporal. Verificou-se um maior uso pelos adolescentes com excesso de peso visando redução calórica. As meninas utilizavam dietéticos e light sem diferenciá-los. Estes fatos chamam a atenção, pois desde que orientado o indivíduo pode se beneficiar de tal uso, conhecendo a finalidade dos produtos. O padrão alimentar vem mudando ao longo da história em função de vários aspectos como, facilidade de acesso e industrialização, a qual permite maior ampliação do mercado consumidor e diversidade de produtos nas prateleiras, além do poder aquisitivo da sociedade moderna (Lerner 2000).

Os hábitos alimentares influenciam diretamente o estado nutricional do indivíduo, podendo levar aos desvios nutricionais (Fisberg et al 2000). A alimentação do adolescente, geralmente, é caracterizada por alto consumo de alimentos prontos (sanduíches, salgadinhos e biscoitos), devido a não necessidade do preparo. O hábito de realizar dieta, muitas vezes restritiva, também é muito presente, podendo levar à ingestão inadequada de nutrientes e energia (Quadrado, 2000, Fisberg et al 2000). Pouco se discute a respeito dos meios pelos quais os conceitos sobre alimentação e nutrição são transmitidos.Um destes meios pode ser o de comunicação de massa, considerado como fator de influência na mudança ou aquisição de hábitos alimentares durante a adolescência, com o incentivo a alimentos muitas vezes prejudiciais a esta fase da vida (Rees, 1992, Obstbye et al 1993), e que podem ocasionar doenças na fase adulta. Diante de tal fato, tem se observado o uso indiscriminado e inadequado de produtos diet/light pela população jovem, com intuito de perda e/ou manutenção do peso corporal.

Alimento dietético ou “diet”, enquadrados entre os alimentos para fins especiais, são aqueles que apresentam restrição de um dos ingredientes de sua formulação, não necessariamente o açúcar ou carboidrato, podendo também ser isentos de gorduras, colesterol, aminoácidos ou proteínas, ou de sódio. Existindo, portanto, alimentos dietéticos para dietas de ganho de peso, para dietas de restrição de gordura, que podem conter açúcar em sua composição (Araújo & Araújo, 1999, Oliveira & Assumpção, 2000). O termo “light” pode ser utilizado no alimento que teve diminuição ou abrandamento do teor de um ou mais componentes, numa redução total ou parcial, de no mínimo 25 %, de um ingrediente em relação ao produto convencional, podendo ser reduzido não somente no teor de gordura, mas também em carboidratos. Como exemplos, temos o sal “light” que apresenta baixo teor de sódio, indicado para hipertensos, sucos e refrigerantes “light” possuem baixo teor de açúcar, podendo ser consumidos por aqueles que desejam controlar ou perder peso, não sendo, no entanto, indicado para os diabéticos (Oliveira & Assumpção, 2000). Desta forma o presente estudo teve como objetivo verificar o conhecimento de alimentos diet e light, bem como o seu consumo por adolescentes.

Dr. Mauro Fisberg Professor Adjunto e Chefe do CAAA. Coordenador do Núcleo de Qualidade de Vida da Universidade São Marcos. Diretor da Nutrociência Assessoria em Nutrologia Nutriçãoa em pauta

Deixe uma resposta