Controle a fome emocional

Na prática, fome emocional é qualquer tentativa de compensar

O estresse diário faz você atacar a geladeira? De noite, come sem pensar no amanhã? Se a comida ocupa espaço demais nos seus pensamentos e no seu estômago, é hora de mudar. E emagrecer! Quando bate a gula fica difícil entender esse episódio tão irracional. Cada vez mais, porém, sabe-se que o tipo de alimento que motiva essa compulsão, assim como o período, se de dia ou de noite, pode explicar o porquê dessa fome voraz. A boa notícia é que, quanto mais soubermos sobre essas escapadelas da dieta, mais fácil vai ficar curar-se delas. Na prática, fome emocional é qualquer tentativa de compensar solidão, estresse, ansiedade, sentimento de culpa ou de vazio com muita, muita comida, que pode ser um pacote de bolacha recheada, um prato de brigadeiro feito na hora, uma travessa de feijão gelado ou até um pão duro com açúcar. Ou, ainda, tudo isso junto. As crises, rapidíssimas, duram de 3 a 8 minutos, mas produzem verdadeiros estragos: o compulsivo passa a ter extrema dificuldade para emagrecer e manter o peso. Mulheres perfeccionistas, inseguras, depressivas, ansiosas, e muito preocupadas com o corpo são vítimas preferenciais da comilança. A pessoa costuma ser 8 ou 80 em tudo. Ou come todos os bombons da caixa ou nenhum; ou muda de emprego para ganhar dez vezes mais ou continua o­nde está. Quando o problema agrava, melhor procurar um Psicólogo. O profissional vai lhe ajudar a fortalecer a auto-estima e sentimentos como impotência e falta de coragem. De qualquer forma, vou dar alguns exemplos: A gula bate à noite Normalmente, a pessoa garante que faz dieta. Come saladas e evita doces na frente dos amigos, mas de madrugada, sozinha, devora tudo o que vê pela frente, até arroz e feijão gelados. Atacar a comida à noite é a marca dos comedores noturnos. As pessoas que desenvolvem esse tipo de compulsão têm total consciência de que as idas à geladeira são prejudiciais, mas acreditam que só comendo vão preencher o vazio que sentem. E, como se privam de mastigar durante o dia, à noite estão famintas. Para compensar, enchem o estômago com qualquer coisa, inclusive com alimentos que não gostam e que normalmente são restritivos numa dieta saudável. Vale lembrar que toda louça e lixo produzidos nessas ocasiões são ocultados para encobrir o crime. Resgatar a autoconfiança é fundamental para quem come demais à noite. É importante lembrar de como era a vida antes das crises para, assim, resgatar antigos valores. É preciso perceber o que lhe dá prazer. DICA: se a comida acalma, procure um outro prazer que cause a mesma sensação e, se possível, que ajude a emagrecer. Que tal caminhar ou dançar? Fonte: www.psicobesidade.com.br

Deixe uma resposta