Cuidados e saúde: úlcera no estômago

O tratamento da úlcera de estômago e duodeno talvez seja o capítulo da medicina que mais evoluiu nos últimos anos. Surgiram novos medicamentos, os conceitos sobre as dietas mudaram, a possibilidade de cirurgia é cada vez menos, e os exames estão permitindo um diagnóstico preciso. Entretanto, ainda encontramos muitas informações baseadas em crenças.

Principais sintomas

Dor na região do estômago, sensação de peso e “estufamento” logo após as refeições, náuseas, vômitos, sangramento pelas fezes, dor noturna que provoca o despertar.

Leite

O leite é um estimulante da secreção do estômago, devendo ser evitado definitivamente. Tipo de sangue As pessoas com o sangue tipo “O” são as que apresentam maior possibilidade de ter a doença.

Álcool

O álcool é um “veneno” para a úlcera. É desencadeador de crises, dificulta a cicatrização e favorece o aparecimento de novas úlceras.

Fumo

O fumo é outro “veneno”. O fumo possibilita os mesmo problemas verificados com o álcool, além de aumentar muito a incidência da doença.

Temperos, café, chá e refrigerantes

Condimentos fortes (temperos) são irritantes da mucosa do estômago.

Medicamentos

Os analgésicos e os anti-inflamatórios, entre outros, podem precipitar a úlcera.

Nervosismo

Os eventos emocionais repetitivos apresentam um papel importante no desencadeamento de úlceras pépticas..

Hereditariedade

As úlceras não são hereditárias, porém admite-se um certo favorecimento entre familiares. “Dói-come-Passa” (melhora da dor após alimentar-se) é considerado como o ritmo clássico da dor provocada pelas úlceras.

Gravidade

É variada de acordo com o paciente. Muitos podem não manifestar sintomas por longos períodos, enquanto outros apresentam queixas desde o início. Algumas apresentam a primeira crise de forma grave, com perfurações e hemorragias.

Dieta

Geralmente é seletiva (individualizada). Aconselha-se a restrição de gorduras, abolição de bebidas alcoólicas, refrigerantes, chás, cafés, condimentos e fumo. Deve-se ainda aumentar o consumo de alimentos ricos em fibras.

Cirurgia

Atualmente o tratamento cirúrgico é reservado apenas para úlceras perfuradas ou com hemorragias graves.

Endoscopia

É o principal exame para o diagnóstico de úlcera péptica. Além de visualizar a lesão, o médico pode fazer biópsias.

Tratamento medicamentoso

Além do alívio dos sintomas, promove a cicatrização perfeita da úlcera, evitando-se assim complicações, e o aparecimento de novas lesões.

O sucesso do tratamento

Depende de cada caso, da combinação dos medicamentos mais ativos, do rigor em seguir a dieta, da dose e do tempo de manutenção dos remédios após a “cura”.

Fonte: Dr. Godofrêdo Chaves Sampaio

Deixe uma resposta