Descer do salto alto pode ser bom para a sua coluna

O mais correto e indicado pelos médicos

 

O salto alto para muitas é sinônimo de beleza e sofisticação. Ele é adorado pelas mulheres e algumas delas simplesmente não o dispensam por deixá-las com uma postura mais elegante. De acordo com vários especialistas o salto alto é tido como vilão da saúde, podendo provocar danos à coluna, problemas no joelho e até o encurtamento dos músculos da panturrilha. A reumatologista Evelin Goldenberg afirma que o uso do salto aumenta a lordose e, com isso, a dor nas costas e nos pés. O mais correto e indicado pelos médicos é fazer, durante a semana, um rodízio entre saltos mais altos e mais baixos, não deixando que os pés se acostumem a um tipo específico de salto. Segundo um estudo realizado pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), o salto mais recomendado para uso diário é o de até 4 cm. Ari Zekcer, médico ortopedista e “cirurgião de joelho”, afirma que entre os melhores recursos está em optar pelos calçados do tipo anabela, que são mais baixos (com cerca de 4 cm).

 

O resultado estético pode não ser o mesmo, mas, em termos de saúde e bem estar, essa mudança vale a pena. As plataformas são indicadas justamente por terem o salto alto por toda a extensão da sola. O sapato tipo plataforma consegue fazer uma melhor distribuição do peso do corpo. “Outra boa prática é alongar periodicamente os músculos da coxa e da panturrilha”, considera. O mais prejudicial deles é o salto agulha, um dos principais responsáveis pelo encurtamento do músculo da panturrilha. Justamente por elevar demais o calcanhar, o sapato de salto muito fino faz com que o peso do corpo fique todo concentrado na parte da frente do pé, causando desconforto, dor e problemas na coluna, já que a mulher tem de andar com os joelhos flexionados e se equilibrando. No entanto, se o uso do salto alto realmente for imprescindível, a recomendação é que se dê preferência para aqueles grossos, que dão maior sustentação e equilíbrio, e não forçam demais determinadas áreas do corpo. Tipos de salto: Agulha – Vilão dos vilões, o sapato com este salto e bico fino não é recomendado nem para a mais especial das ocasiões.

Causa desequilíbrio porque reduz muito a participação do calcanhar na sustentação do corpo, além de deixar os dedos muito desconfortáveis. Fino – O modelo com salto fino “achatado” oferece mais equilíbrio que o tipo agulha, mas não deixa a mulher livre de torções de tornozelo e dores nos dedos e na planta do pé. Plataforma – Este salto oferece uma melhor distribuição da pressão exercida pelo corpo sobre os pés. A ponta angular facilita a impulsão do corpo ao caminhar. Centro – O salto que sai do meio do calcanhar facilita o equilíbrio do corpo. Esse modelo deixa os dedos confortáveis e pode ser uma opção para as mulheres que não abrem mão da elegância a toda hora. Quadrado – O modelo grosso e quadrado é um dos eleitos pela maioria das mulheres que querem manter a elegância por longos períodos do dia. Esse tipo de sapato deixa o calcanhar bem apoiado, o que ajuda no equilíbrio do corpo. 3 cm – O sapato baixo, com salto de até três centímetros, é o único recomendado por especialistas para o uso diário constante. Anabela – O sapato com este tipo de salto pode causar desconforto, mas, como o plataforma, diminui as dores porque distribui bem a pressão do corpo sobre a planta dos pés. Texto: Raphaela Dutra Izac Gerente em moda, estilista e designer Fonte consultada: Acessa Mulher

Deixe uma resposta