Dez alimentos para viver mais

O consumo regular de frutas variadas auxilia na redução

 

A ciência dos alimentos dedica boa parte de suas pesquisas para identificar comidas que fazem mal à saúde. Há muito se sabe, por exemplo, que gordura bloqueia as artérias e carne vermelha em excesso é ruim para o coração – sem falar nos recém-condenados carboidratos, os mais novos vilões da obesidade, carro-chefe de males diversos. Em pouco tempo, várias descobertas animadoras foram feitas. Estudos recém-divulgados autorizam afirmar que uma dieta funcional – ou seja, baseada em alimentos não só saudáveis, mas especificamente indicados para a prevenção de males – chega a reduzir em até 70% o risco de alguns tipos de câncer e em 80% as enfermidades do coração, no caso de indivíduos que não fumam e que praticam exercícios regulares. “A dieta saudável deixou de ser aquela que não faz mal à saúde”, diz o americano Walter Willett, chefe da área de nutrição na Escola de Saúde Pública de Harvard e uma das maiores autoridades no assunto. “Hoje, é a que previne doenças e, em alguns casos, ajuda a tratá-las.” Conheça alguns dos alimentos que a ciência já comprovou serem capazes de prevenir doenças e a quantidade indicada para potencializar seus benefícios* AVEIA Ajuda a diminuir o colesterol ruim, o LDL. Ganhou o selo de redutor do risco de doenças cardíacas da FDA, agência americana de controle de alimentos e remédios Quantidade recomendada: 40 gramas por dia de farelo ou 60 gramas da farinha. ALHO Reduz a pressão arterial e protege o coração ao diminuir a taxa de colesterol ruim e aumentar os níveis do colesterol bom, o HDL.

 

Pesquisas indicam que pode ajudar na prevenção de tumores malignos Quantidade recomendada: um dente por dia (para diminuir o colesterol e a pressão arterial) AZEITE DE OLIVA Auxilia na redução do LDL. Sua ingestão no lugar de margarina ou manteiga pode reduzir em até 40% o risco de doenças do coração Quantidade recomendada: 15 mililitros por dia ou uma colher (de sopa rasa) CASTANHA-DO-PARÁ Assim como noz, pistache e amêndoa, auxilia na prevenção de problemas cardíacos. Também ganhou o selo de redutora de doenças cardiovasculares da FDA Quantidade recomendada: 30 gramas por dia ou de cinco a seis unidades CHÁ VERDE Auxilia na prevenção de tumores malignos. Estudos indicam ainda que pode diminuir as doenças do coração, prevenir pedras nos rins e auxiliar no tratamento da obesidade Quantidade recomendada: De quatro a seis xícaras por dia (para reduzir os riscos de gastrite e câncer no esôfago) MAÇÃ Ajuda a prevenir tumores malignos, diz o médico Michael Roizen. O consumo regular de frutas variadas auxilia na redução de doenças cardíacas e da pressão sanguínea, além de evitar doenças oculares como catarata Quantidade recomendada: cinco porções de frutas por dia PEIXES Os peixes ricos em ômega 3, como a sardinha, o bacalhau e o salmão, são poderosos aliados na prevenção de infartos e derrames. Estudos indicam também que reduzem dores de artrite, melhoram a depressão e protegem o cérebro contra doenças como o mal de Alzheimer Quantidade recomendada: pelo menos 180 gramas por semana (para reduzir o risco de doenças cardiovasculares) SOJA Ajuda a reduzir o risco de doenças cardiovasculares, segundo a FDA.

Seu consumo regular pode diminuir os níveis de colesterol ruim em mais de 10%. Há indicações de que também ajuda a amenizar os incômodos da menopausa e a prevenir o câncer de mama e de cólon Quantidade recomendada: 150 gramas de grão de soja por dia, o equivalente a uma xícara de chá (para reduzir o colesterol) TOMATE Auxilia na prevenção do câncer de próstata Quantidade recomendada: uma colher e meia (sopa) de molho de tomate por dia VINHO TINTO A uva vermelha, presente no vinho ou no suco, ajuda a aumentar o colesterol bom e evita o acúmulo de gordura nas artérias, prevenindo doenças do coração Quantidade recomendada: dois copos de suco de uva ou uma taça de vinho tinto por dia Qualidades atestadas, os alimentos funcionais de nada servem, alertam especialistas, se: 1) não forem consumidos com regularidade – como os remédios, só têm efeito no combate às doenças quando ingeridos nas quantidades adequadas; 2) a dieta como um todo não for saudável. É inútil empanturrar-se de aveia no café-da-manhã e devorar hambúrgueres com refrigerante no almoço. “A fórmula ideal para prevenir doenças com o auxílio dos alimentos é combinar na dieta o maior número possível de substâncias benéficas”, diz o médico Walter Willett. * As quantidades de alimentos indicadas se referem apenas à prevenção das doenças especificadas. A dosagem ideal para o combate das demais ainda não foi identificada pelos pesquisadores Fonte: Revista Veja – Ed 1856 (02/06/04)

Deixe uma resposta