Dores causadas pelo uso do salto alto

Ortopedista investiga dores causadas pelo uso de salto alto

 

Ortopedista investiga dores causadas pelo uso de salto alto. Que andar de salto não é uma tarefa das mais confortáveis, toda mulher sabe. O que muitas nem desconfiam é que, ao contrário do que se imagina, não é o aumento da pressão na planta dos pés que provoca as dores. “A pressão total exercida nessa região é praticamente idêntica em valores numéricos, tanto para o salto de 3 cm, 6 cm ou 9,6 cm”, diz a pesquisadora Cibele Réssio, do Departamento de Ortopedia e Traumatologia. Ela constatou que o que causa o cansaço e as dores é, entre outras coisas, o fato de que ocorre uma concentração dos picos de pressão na região do grande dedo.

 

“A utilização dos sapatos de saltos reduz a participação do calcanhar na sustentação do corpo, aumentando proporcionalmente a participação da ponta dos pés (região onde as dores são mais freqüentes)”, acrescenta Cibele. Outra explicação é que a mulher demora mais tempo para percorrer a mesma distância, na medida em que aumenta o tamanho do salto. No estudo da ortopedista, as mulheres com salto de 9,6 cm, por exemplo, levava cerca de 2 décimos de segundo a mais para dar um passo, do que levavam quando estavam com o salto de 3 cm. Apaixonada por sapatos, com uma coleção pessoal de quase 100 pares, ela aproveitou a experiência adquirida no Grupo de Medicina e Cirurgia do Pé para estudar as alterações que o uso dos três tipos de salto mais vendidos no mercado brasileiro provoca nos pés. Para chegar a esses resultados, a pesquisadora mediu a pressão na planta dos pés de 10 mulheres, recrutadas no próprio Hospital São Paulo. Foram estudados 40 passos de cada uma em quatro situações diferentes: descalças, com salto de 3 cm, de 6 cm e de 9,6 cm.

As medidas de pressões foram tomadas por meio de palmilhas especiais, dotadas de sensores conectados a um computador (o baropodômetro F-Scan), que foram introduzidas nos sapatos utilizados na pesquisa. Enquanto caminhavam, o computador registrava uma espécie de “impressão digital das pegadas”. “Por ser mulher e ortopedista especializada em pé, sempre pensei no sapato de salto ideal, que causasse menos dor e menos desconforto”, diz Cibele. “Minha tese de doutorado terá como desafio desenvolver, com a ajuda de um engenheiro, o sapato de salto ideal, que seja possível calçar durante horas sem sentir dor”, idealiza. Cuidados na hora de escolher o sapato Só comprar sapatos no final da tarde ou à noite, pois os pés incham durante o dia. Quando calçar os sapatos, verficar se sobra uma folga de mais ou menos 1,5 cm entre os dedos e aponta do sapato. Não queira usar sapatos menores do que o seu pé, compre sempre o seu número. Não acredite que o sapato vai lacear. No momento da compra o sapato deve estar o mais confortável possível. Calce os dois pés do calçado, pois normalmente temos um pé maior que o outro. Simone Paulino

Deixe uma resposta