Estresse: inimigo número um do coração

O estresse tem consequências nocivas para a saúde. Entre as mais comuns estão as doenças

 

Estresse, a doença da vida moderna. O estresse é uma condição inevitável na vida das pessoas, resultando, basicamente, da multiplicidade de papéis que a vida moderna nos obriga a representar. E, como ainda não somos indivisíveis, surge o malfadado estresse! O cumprimento de prazos no trabalho, o interminável trânsito, os problemas familiares, as dificuldades econômicas, alguns casos a violência familiar ou mesmo a educação dos filhos são algumas das causas. Mas, não é só o ritmo de vida alucinante que causa estresse! Por vezes, este também é causado pela “nossa cabeça”, tendo neste caso origem em traumas psicológicos ou outras situações vividas, que nos impedem de raciocinar no momento certo, introduzindo bloqueios na mente. É o caso de importantes acontecimentos ocorridos na nossa vida, tais como a morte de uma pessoa querida, a mudança para uma nova cidade ou simplesmente um acontecimento que nos deixe aborrecido. O corpo de quem sofre de estresse depara-se com algumas alterações biológicas, como a respiração acelerada, o aumento do ritmo cardíaco e suar com frequência. O estresse tem consequências nocivas para a saúde. Entre as mais comuns estão as doenças cardíacas, hipertensão, úlceras, depressão, estados de ansiedade, alcoolismo e cancro. É frequente as pessoas apanharem uma gripe depois de uma semana particularmente agitada, devido ao enfraquecimento do sistema imunológico causado pelo estresse. A necessidade de saber lidar com esta doença torna-se por isso importante. Como lidar com o “inimigo”: Para diminuir o estresse, experimente: Respirar fundo. Ajuda a acalmar e reduz a tensão. Procure manter a calma e não se irrite, dedique partes do seu dia ao relaxamento, como a meditação ou yoga, que o ajudarão favoravelmente a ver a vida de uma forma mais otimista. Faça exercício de uma forma moderada, pois está provado cientificamente que ajuda a combater o terrível inimigo. Crie hábitos saudáveis de vida, particularmente no que toca à alimentação. Corte com as gorduras supérfluas, evite abusar dos óleos, manteiga e leite gordo. Coma mais peixe, de preferência grelhado, reduza no sal, no álcool, no açúcar e na quantidade de cigarros que fuma. Faça uma alimentação que contenha fibras e proteínas, tais como legumes, fruta e alimentos integrais. Caso sinta que o seu quadro clínico é particularmente delicado, peça ajuda a um profissional. Ninguém melhor do que um técnico credenciado para o ajudar a libertar-se desse problema. Não se esqueça que uma questão simples, pode dar origem a “um monte de trabalhos”. É para isso que existem profissionais clínicos. E, não se intimide: mais ou menos, todos temos o mesmo problema. Então, por que não corrigí-lo?! De entre os sinais de alerta, destaque para: dores de cabeça, insônias, ataques de asma, tonturas ou tremuras, o estresse acumulado pode também causar alterações no comportamento, tais como o abuso do álcool, fumar mais que o habitual ou a perda do apetite. Não remedeie a sua saúde, previna-se! Procure ter uma atitude positiva na vida e crie tempo para si. O exercício físico ajuda a evitar as doenças e proporciona bem-estar físico e mental. Há inúmeras atividades que “afastam” o estresse do dia-a-dia, entre elas destaca-se a natação, hidroginástica, yoga, meditação, caminhar ao ar livre, andar de bicicleta… A escolha é sua e o corpo também. Fonte: cco.pt

Deixe uma resposta