Evitando a menstruação

Há diversos modos de se evitar o

 

Há diversos modos de se evitar o sangramento menstrual. O mais radical consiste na retirada do útero e dos ovários. A simples histerectomia livra a mulher do sangramento menstrual e das cólicas, mas não da tensão pré-menstrual. A ovariectomia, ou castração, livra-a da tensão pré-menstrual e do sangramento, mas estabelece a menopausa, que pode ser aliviada com reposição hormonal. Uma alternativa menos radical e que atende aos problemas de sangramento é a ressecção do endométrio, feita com a ajuda do histeroscópio, um aparelho que é introduzido pela vagina, sem necessidade de corte.

E ainda menos radicais que as técnicas cirúrgicas são os tratamentos que inibem a ovulação, como o uso contínuo de anticoncepcionais orais ou as injeções. As injeções, defendida pelo Dr. Elsimar Coutinho, podem ser aplicada mensalmente (50 mg), trimestralmente (150 mg) ou semestralmente (400 mg). Segundo o médico, a opção mais recente para os injetáveis são os implantes, mas estes não suprimem a menstruação em todas as pacientes. Em caso positivo, os implantes podem resolver o problema por períodos superiores a cinco anos. “Já como substitutos não cirúrgicos para a ovariectomia, podem ser usados os análogos dos LHRH, que estabelecem uma menopausa reversível, atenuável com a administração simultânea de uma reposição hormonal à base de estrogênios”, orienta o médico.

 

Deixe uma resposta