Exercício físico, bom ou ruím?

Quando ligamos a TV, lemos qualquer revista ou conversamos na esquina escutamos: “pratique esporte ou pratique exercícios físicos!”. E, atualmente isto parece ser uma ordem, muito boa por sinal, mas que merece algumas restriões.

É preciso tomar muito cuidado para que algo que seja teoricamente benéfico para nossa saúde confirme-se na prática. Primeiramente é importante definir o que é atividade física e o que é exercício físico. Atividade Física é todo movimento que fazemos onde o gasto energético seja maior que o repouso, cortar grama ou passear com o cachorro por exemplo. E exercício físico é uma atividade planejada, estruturada e dosificada para que o indivíduo pratique voluntariamente. Então você que é leigo e que está tomando consciência de que realmente movimentar-se é uma necessidade para ter saúde cuidado com o: PRATIQUE EXERCÍCIOS FÍSICOS. Sim, você dirá pratico, mas, quais exercícios devo fazer? Quando? Onde? E de que forma? fundamental que entendamos que o Exercício Físico só trará seus benefícios a Saúde do indivíduo se tiver alguns detalhes importantes seguidos a risca. Em primeiro lugar somente deve praticar exercícios físicos quem sente-se bem e saudável. Se você já é adulto deve ter o aval de um médico.

Depois disto importante que você seja orientado por um professor de Educaão Física, que atualize-se constantemente. Desde uma simples caminhada são necessários cuidados para que tornem esta atividade benéfica. Cada indivíduo é único no mundo e atividades que são agradáveis para uns não as são para outros, esforços insignificantes para uns são esforços extenuantes para outros, esportes individuais muito monótonos para uns são a busca do auto-conhecimento para outros. Então está começando a ficar claro que um dos segredos para o Exercício proporcionar mudanças positivas no organismo e na mente do indivíduo é a dosagem individual deste. As recomendaões básicas que já são testadas, comprovadas e aceitas pela comunidade científica quanto ao Exercício Físico são as seguintes: Freqência: o exercício físico não deve ser realizado esporadicamente, e sim, no mínimo 3 vezes por semana. De 4 a 5 vezes é o que mais se recomenda atualmente, porém quanto maior o número de vezes por semana (5, 6 ou até 7!) maior é o risco de lesões por esforços repetitivos. Pessoalmente acredito que devido ao enorme tempo que ficamos sem fazer grandes gastos de energia durante o dia deveríamos fazer exercícios todos os dias, mas se isto ocorrer, não deveríamos realizar sempre o mesmo tipo de atividade sobre o risco de sobrecarregar e desgastar precocemente as estruturas do corpo.

Tempo: no mínimo 30 minutos por dia, e este tempo pode ser numa única sessão ou em duas de 15 minutos. Intervalo: realizar exercícios com mais de 72 horas (3 dias) de intervalo é no mínimo ficar estagnado. O organismo estará na mesma condião anterior na próxima sessão de treino. E, assim como intervalos muito grandes, os intervalos pequenos (treinar mais de uma vez no mesmo dia) não são adequados para o indivíduo que busca no exercício investir na sua Saúde. Vale lembrar que são nos intervalos que nosso corpo se adapta aos esforços que foi submetido. Uma alimentaão equilibrada, com boa hidrataão e sono suficiente são ótimos companheiros dos exercícios, fazendo com que aproveitemos ao máximo o que eles nos oferecem. Intensidade: podemos fazer apenas 15 minutos de corrida, mas correr tão rapidamente que no dia seguinte mal levantamos da cama de tantas dores nas pernas. Ou podemos jogar 2 horas de futebol onde na posião que escolhemos (goleiro, por exemplo), não nos desgastemos tanto. A intensidade do exercício tem a ver com o quando difícil para mim é realizá-lo. E aqui uma das grandes chaves para descobrir o que é bom para você é aprender a perceber as respostas que meu corpo lhe manda. Normalmente é mais difícil ao indivíduo saber dizer, eu devo ir mais devagar, ou para que 50 repetiões se na 25ª eu já estou sentindo dores? As dores são alertas que o organismo nos manda para dizer-nos que algo não está bem com ele. Quem pretende realizar exercícios para melhorar ou manter sua saúde não deveria sentir dores. Atletas sim, mas eles precisam chegar aos seus limites máximos, inclusive muitos atletas não tem saúde em virtude destas sobrecargas enormes que são submetidos.

Tipo de atividade: para alguém que aprendeu na infância e na escola a gostar de movimentos não ser difícil incorporal aos seus hábitos de vida o movimento mais intenso. Mas para quem já faz tempo que não exercita-se, sempre foi deixado de lado, por ser “ruim de bola” e ainda ganhou vários quilos nos últimos anos, não é nada fácil iniciar. E sair correndo por ai no mínimo, imprudência. Neste item vale apenas um conselho, procure ter mais de um tipo de atividade como preferida, desde caminhar, dançar, pedalar, fazer uma aula de ginástica, ou praticar um esporte. Você tem que sentir prazer nesta atividade. Aprenda a gostar de movimentar-se. Aprenda a perceber aquelas mudanças sutis que vão ocorrendo como dormir melhor, poder concentrar-se mais no trabalho, conversar com pessoas diferentes, fazer amizades, acordar mais disposto, estar mais animado e alegre, enfim perceba o que você está ganhando além de músculos e ossos mais fortes. Finalizando, nosso corpo foi projetado para os movimentos e não é somente capaz de realizá-los com perfeião, mas precisa deles para manter-se saudável. Então, escolha algo que você divirta-se e sinta-se bem, inicie sem pressa, o importante não é começar a todo vapor, o importante é começar. E após começar, para ter a certeza que o Exercício Físico está sendo ótimo para você necessário dosá-lo de forma adequada as suas condiões atuais, o que um Profissional de Educaão Física é capaz de fazer através de testes, percepão, experiência e troca de idéias. Coloque seu nome na sua “agenda” encontre tempo para investir em si mesmo e pratique regularmente Exercícios Físicos.

Dr. Aluízio aluimm@proserv.com.br

Deixe uma resposta