Falando sobre fisiculturismo

Apaixonado e praticando musculação há mais de meio século, não consigo achar valor algum nos concursos de fisiculturismo. Nestas ocasiões vemos um desfile de pessoas enormes, pessoas que olhamos quase sem acreditar que um ser humano

possa ficar com todos aqueles músculos, ou melhor, músculos daquele tamanho. Isto tanto nos homens quanto nas mulheres. Desculpem-me, mas alguns se tornam verdadeiras aberrações, chegam a ser cômicos às vezes. Mulheres tendo que fazer a barba diariamente, voz de homem, perdem os seios e colocam silicone que ainda piora a situação. Procurem fotos da fisiculturista Denise Masino no site gatas lindas e musculosas e me digam se estou ou não com a razão. Já vi fotos de loucos que se dizem atletas de fisiculturismo, que após injeções de óleos ou outra substâncias em seus músculos criam tumores de grande volume, para dar a impressão de que é um músculo grande e forte ou então provocam uma necrose (apodrecimento) da região injetada, que em alguns casos leva até à morte. Estes são apenas alguns dos danos causados na parte externa do corpo.

E no que diz respeito à saúde interna, vamos falar da hipertensão arterial, como se sabe uma grande parte da população já sofre desta doença e o uso de medicamentos chamados anabolizantes só piora esta hipertensão levando seus usuários a episódios de AVC (derrame cerebral) com graves seqüelas e até à morte. Quem não tem problemas com sua pressão fatalmente passará a tê-los com o uso dos anabólicos. As lesões cerebrais que chegam a provocar convulsões em pessoas que nunca as tiveram antes levam à morte muitos daqueles que se arriscam por este caminho. Bem vou parar por aqui, pois este assunto poderia se estender por muitas e muitas páginas, pois são inúmeras as enfermidades provocadas em quem quer ficar forte sem fazer força. Isto mesmo, força faz quem malha de cara limpa, ou melhor, de corpo limpo, sem qualquer estímulo extra, sem anabólicos, admiro quem faz um supino reto com mais de 100 Kg sem que para isto precise ser ajudado por drogas ilícitas.

Praticando musculação há 54 anos e médico com 46 anos de profissão, me recuso a ver qualquer beleza ou mérito em competições de fisiculturismo. Falo com a certeza de quem malha há mais de meio século, ninguém consegue chegar no nível de competir em fisiculturismo sem usar anabolizantes. E pergunto, são atletas? Claro que não, o atleta de verdade não aceitaria nunca entrar em uma disputa tendo qualquer tipo de vantagem, sem igualdade de condições é roubo, é safadeza. Todo aquele que usa de artifícios para levar alguma vantagem em alguma competição não têm o direito de ser chamado “ATLETA”. Para mim são doentes, são dependentes de drogas, sem elas não sentem motivação para nada, entram em depressão, perdem toda a euforia conferida por elas, sentem-se fracos. Com o uso de anabolizantes tudo muda, sentem-se mais fortes, mais poderosos e com vontade de malhar cada vez mais.

Portanto ficam escravizados a estas drogas que fornecem asas, mas proíbem o céu. Ficam dependentes, viciados no seu uso, iguais aos usuários de cocaína e outras drogas, precisam de tratamento médico. A pior coisa que aconteceu com a mãe de todas as ginásticas e de todos os esportes, ou seja, a ”musculação” foi a descoberta das drogas anabolizantes. A única droga anabolizante que não possui efeitos colaterais, ”é aquela que você não toma”. ‘Mens Sana in Corpore Sano’, esta é a minha religião de corpo e alma.

Luiz Mezencio de Oliveira Médico do Trabalho e de Medicina Desportiva (Praticante de musculação há 54 anos)

Deixe uma resposta