Fique atento à andropausa

A andropausa é uma fase em que 50% da população masculina

 

 

A andropausa é uma fase em que 50% da população masculina pode passar por volta dos 50 até os 60 anos. Nesse período, ocorrem algumas mudanças físicas e psicológicas devido à diminuição da produção de testosterona, o hormônio responsável pela libido masculina. “As conseqüências mais comuns e evidentes nesse período são a atrofia dos testículos, que passam a produzir menos hormônios, a disfunção no crescimento de pêlos e o acúmulo de gordura em lugares específicos” diz o sexologista, João Luis Borzino. São sintomas óbvios da andropausa a diminuição da libido e do apetite sexual. O indivíduo pode passar a sentir mais frio, ficar menos agressivo e em grande conflito emocional, pois não consegue entender o que está acontecendo. Segundo João, a principal dica para o homem saber se está na andropausa é reparar se houve diminuição da massa óssea e massa muscular, acompanhada da redução do tamanho dos testículos e falta de confiança para o sexo ou até mesmo nos negócios. Existe tratamento e ele é 100% eficaz. Ele é feito à base da reposição hormonal de testosterona.

 

“Se o indivíduo entender que está em uma nova fase e tiver vontade de se adaptar a ela, o tratamento é muito favorável. Geralmente o homem volta a ter uma vida normal, tanto sexual quanto profissional” diz o especialista. É importante lembrar que a reposição hormonal deve ser feita com total acompanhamento médico, pois o aumento da testosterona em homens pré-dispostos ao câncer de próstata não é indicado. Para o homem que não quer se preocupar com a adropausa a dica é balancear a alimentação. Ela deve ter baixo teor de gorduras saturadas, mas sem baixar o nível das gorduras “saudáveis” (mono e polinsaturadas). São elas que ajudam na produção dos hormônios masculinos. Os alimentos ricos em gorduras “boas” são: óleo vegetal cru, azeite, castanhas, peixes gordurosos, fibras e legumes crus. Também é importante conciliar a alimentação balanceada com exercícios físicos regulares e banhos de sol. Fonte: Mariana Tasso

Deixe uma resposta