Ganho de peso pode ser retenção de líquidos

A culpa pelo inchaço repentino é

 

“A QUEIXA DE RETENÇÃO DE LÍQUIDOS GERALMENTE REFLETE APENAS UM DESCONFORTO CORPORAL RELACIONADO AO EXCESSO DE PESO, SEDENTARISMO, MÁ ALIMENTAÇÃO E DIFICULDADE DE RETORNO VENOSO.” Não há sensação pior que a de ter ganho uns quilos extras do dia para a noite. Mas nem sempre essa “engordada” significa excesso de gordura no corpo. A culpa pelo inchaço repentino é da retenção de líquidos pelo organismo, que acaba causando um breve, porém indesejado, “efeito sanfona”. O que muita gente não sabe é que uma pessoa pode ganhar de um a dois quilos durante o dia por conta da retenção de líquidos. Inúmeros são os fatores que levam a esse aumento de peso, bastante evidente nas mulheres na época da tensão pré-menstrual e no período menstrual. Quando é essa a causa da retenção de líquidos, não há com o que se preocupar. No entanto, a retenção de líquidos se torna um problema a partir do momento em que os causadores do inchaço são outros fatores. A endocrinologista Dra. Márcia Fabiana Seki explica que “os quadros verdadeiros de edema devem ser investigados porque podem se tratar de algum problema renal, cardíaco, hormonal ou vascular. A insuficiência renal pode provocar edema por uma deficiência dos rins em eliminar água, enquanto a insuficiência cardíaca, por dificuldade do órgão no bombeamento sanguíneo adequado e pela hipertensão, todos comumente associados à insufiência renal. Além disso, problemas de funcionamento da tireóide, insuficiências venosas e linfáticas também podem causar edemas”.

 

Segundo a Dra. Seki, excluídas as possibilidades acima citadas, “a queixa de retenção de líquidos geralmente reflete apenas um desconforto corporal relacionado ao excesso de peso, sedentarismo, má alimentação e dificuldade de retorno venoso”. As principais causas da retenção de líquidos normalmente são as deficiências na circulação, tanto do sangue quanto do plasma (líquido que transporta gordura e toxina nos vasos sanguíneos). Geralmente, devido ao seu biotipo, quem sofre em demasia com esse problema são as mulheres, pois nelas a gordura está preferencialmente localizada nas nádegas e nas coxas, o que ajuda a reter ainda mais líquido no período pré-menstrual. Os locais onde ocorrem uma maior evidência desse inchaço são as mãos e as pernas, porém, há pessoas que apresentam retenção hídrica generalizada, sentindo também inchadas as mamas e a barriga. Além do inchaço, a retenção de líquidos pode apresentar outros sintomas, como dores de cabeça, pressão alta, vista embaçada e dores no peito. Segundo a Dra. Seki, “dietas com excesso de sal, pobres em proteínas e água podem piorar os sintomas. Por isso, se faz necessário uma dieta balanceada para a melhora da retenção de líquidos”. Para prevenir a retenção de líquidos a endocrinologista indica “a prática de atividade física, que ajuda na melhoria dos sintomas porque contribui para a melhora da circulação do organismo, ou seja, para a drenagem dos líquidos retidos”. Além disso, é importante adotar uma dieta com menor consumo de sal. “Outro método muito interessante para auxiliar na redução da retenção de líquidos é a massagem de drenagem linfática que, se realizada de forma adequada, ajuda também o sistema linfático a eliminar líquidos e toxinas acumulados”, conclui a Dra. Seki. Dra. Márcia Fabiana Seki é formada em medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com especialização em Endocrinologia e Metabologia. Fonte: transcrito da revista Viver Nutrilite

Deixe uma resposta