Gonorréia no homem

Após o contágio, há um período chamado de tempo de incubação

 

Sinônimos e nomes populares: blenorragia, corrimento, escorrimento ou pingadeira. O que é? É uma uretrite causada por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhea a qual, ao microscópio, assemelha-se a um pequeno rim. Como se desenvolve ou se adquire? A gonorréia se transmite através de relações sexuais com parceiras contaminadas. O risco de se contaminar, na primeira vez, é de 15-20%. Esse aumenta à medida que aumentam o número de relações com parceiras contaminadas. Sexo oral ou anal também transmitem gonorréia. O que se sente? Após o contágio, há um período chamado de tempo de incubação no qual o paciente está assintomático. Esse período varia de dois à dez dias. Logo após surge secreção com dor para urinar. A secreção aumenta em quantidade com “inchume” da uretra e pele do pênis.

 

A gonorréia pode ocorrer sem secreção alguma. Como se faz o diagnóstico? A história do paciente junto com o exame físico fornecem elementos fundamentais para o diagnóstico. O exame bacterioscópico de secreção, com o auxílio de corantes especiais pode ser realizado no próprio consultório, pelo médico, se houver condições. Se não, o exame bacterioscópico e bacteriológico feitos em laboratório são solicitados. Quais as conseqüências da doença? Não tratada, a gonorréia pode causar estreitamento uretral no homem, como também afetar órgãos adjacentes: testículos, epidídimos e próstata. Com os tratamentos modernos, essas complicações são raras. Como se trata? Dá-se preferência a doses únicas de antibióticos, tais como coftriaxonia. Outros antibióticos também podem ser utilizados como azitromicina, doxiclina, cefixime, ciprofloxacina. Abstinência sexual ou relações com preservativo durante o tratamento são encorajados. Como se previne? A seleção criteriosa da parceira e o uso de preservativos são importantes na prevenção. Fonte: Medcentersul

Deixe uma resposta