Hipertireoidismo: sintomas e tratamento

A tireóide ou tiróide é uma glândula em forma de borboleta

 

 

A tireóide ou tiróide é uma glândula em forma de borboleta (com dois lobos), que fica localizada na parte anterior do pescoço, logo abaixo da região conhecida como Pomo de Adão (ou popularmente, gogó). É uma das maiores glândulas do corpo humano e tem um peso aproximado de 15 a 25 gramas (no adulto). Quando a tireóide não está funcionando adequadamente pode liberar hormônios em excesso, provocando o hipertireoidismo ou em quantidade insuficiente, provocando o hipotireoidismo. Hipertireoidismo: O hipertireoidismo se desenvolve quando há uma produção excessiva dos hormônios da tireóide (T3 e T4). A causa mais comum é uma doença auto-imune (o próprio corpo produz proteínas que “atacam” o órgão) chamada Doença de Graves. Sintomas: Em sua forma mais suave, o hipertireoidismo pode não apresentar sintomas facilmente reconhecíveis ou apenas cursar com sintomas inespecíficos, como sensação de desconforto e fraqueza. Mas o hipertireoidismo pode ser uma doença grave e séria e até mesmo colocar em risco a vida da pessoa.

 

Quando o hipertireoidismo se desenvolve, há um aumento na tireóide, que pode ser associado aos vários sintomas: – aceleração dos batimentos cardíacos, mais de 100 por minuto (chamada taquicardia); – irregularidade no ritmo cardíaco, principalmente em pacientes com mais de 60 anos; – nervosismo, ansiedade e irritação; – mãos trêmulas e sudoreicas; – perda de apetite; – intolerância a temperaturas quentes e probabilidade de aumento da sudorese; – queda de cabelo e/ou fraqueza do couro cabeludo; – rápido crescimento das unhas, com tendência à descamação das mesmas; – fraqueza nos músculos, especialmente nos braços e coxas; – intestino solto; – perda de peso importante; – alterações no período menstrual; – aumento da probabilidade de aborto; – olhar fixo; – protusão dos olhos, com ou sem visão dupla (em pacientes com a Doença de Graves); – acelerada perda de cálcio dos ossos, com aumento do risco de osteoporose e fraturas. Tratamento: Não há um tratamento ideal para todos os pacientes com hipertireoidismo. Muitos fatores podem influenciar na escolha do tratamento ideal, como a idade, o tipo de hipertireoidismo, alergia a medicação utilizada para o tratamento do hipertireoidismo, a severidade do hipertireoidismo e outras doenças pré-existentes. Os medicamentos anti-tireoidianos podem ser utilizados para abaixar os níveis dos hormônios tireoidianos circulantes no sangue. Estes remédios impedem a utilização do iodo pela tiróide e, como o iodo é necessário para a fabricação dos hormônios tireoidianos, a produção dos mesmos conseqüentemente é diminuída. Além disso, bloqueiam a incorporação do iodo e a geração de hormônios da tireóide. IMPORTANTE Somente um médico pode diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis possuem apenas caráter educativo. Fontes: bvsms.saude.gov.br – Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Instituto da Tireóide

Deixe uma resposta