Mais infomações sobre diabetes

Diabetes É uma doença incurável, não transmissível de uma pessoa para outra,

 

– Diabetes É uma doença incurável, não transmissível de uma pessoa para outra, caracterizada por um distúrbio do metabolismo do aproveitamento da glicose. Consiste no aumento do teor de glicose no sangue devido a diminuição, ausência ou não utilização da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas. Não poupa ninguém , crianças, jovens, adultos ou idosos atingindo cerca de 100 milhões de pessoas. Acredita-se que, até 2010, teremos 240 milhões de diabéticos no mundo. O que acontece? O nosso organismo precisa de combustível para funcionar. A glicose existente nos alimentos é o nosso combustível. Quando nos alimentamos, a glicose passa para o nosso sangue; todavia, para penetrar nas nossas células necessita da insulina que funciona como se fosse um “transportador” que a leva para o interior das células, onde é aproveitada. Há pessoas que não fabricam insulina; são as que possuem diabetes tipo 1 e precisam receber insulina por toda a vida. Outras tem insulina, porém esta não consegue funcionar adequadamente; necessitam de controle alimentar e podem precisar de medicamentos orais.

 

DIAGNÓSTICO Mediante riscos e determinadas queixas, o exame inicialmente realizado é a dosagem de glicose no sangue. A taxa normal em jejum é de 70 a 110mg por 100ml de sangue. Lembrando que o diagnóstico é sempre estabelecido pelo médico. PRINCIPAIS SUSPEITAS É importante que se saiba reconhecer os sintomas, antes que a doença se agrave e cause maiores danos. Por isso, consulte um médico, se você ou alguém de sua família tiver: • sensação de cansaço ou de fraqueza, com freqüência; • muita sede; • urinando demais; • muita fome; • rápido aumento ou perda de peso; • dificuldade de cicatrização de ferimentos; • coceiras pelo corpo, principalmente nos genitais femininos; • dificuldade crescente para enxergar; • dormência, formigamento, choque ou câimbra nas mãos, pernas e pés. QUAL É A CAUSA? Não se sabe porque esse distúrbio metabólico acontece. Não há causa definida, mas pessoas com parentes diabéticos têm maior probabilidade de desenvolver a doença, principalmente se existirem outros fatores de risco, tais como: obesidade, “stress”, sedentarismo, doenças infecciosas, abalos emocionais e gravidez. QUAIS SÃO AS CONSEQUÊNCIAS? Complicações agudas: podem ocorrer por excesso ou falta de glicose no sangue podendo levar ao coma e à morte se não forem tratadas com urgência. Conseqüências do diabetes não controlado: cegueira, por retinopatia diabética e catarata. enfarte do miocárdio, é duas a três vezes mais freqüente nos diabéticos. A gangrene, ocorre por diminuição da circulação arterial no pé e na perna. Graves problemas e conseqüente amputação podem ser evitados com medidas simples e sistemáticas, aplicadas pelo próprio paciente. Impotência sexual masculina é comum entre os homens diabéticos outras complicações graves. “Todas estas conseqüencias podem ser evitadas através de um controle eficaz”. PREVENÇÃO Se você não é diabético e deseja se prevenir, é importante adotar estilo de vida que controle os vários fatores de risco. O QUE FAZER? Se você é diabético, precisa aprender a controlar sua doença. O principal deles é a alimentação inadequada. Lembre-se a maior parte da glicose vem dos alimentos que você ingere. Por isso o importante é que a alimentação seja equilibrada em quantidade e qualidade de alimentos. Observe as seguintes dicas: • equilibre a alimentação; • utilize corretamente os medicamentos indicados pelo médico; • controle o peso, o “stress” e a pressão arterial; • pratique atividade física regularmente para ajudar a consumir a glicose; • se for gestante, siga rigorosamente as recomendações do pré-natalista; • substitua o açúcar por adoçantes artificiais; • evite outros agravos à saúde, principalmente infecções. • dispense cuidados diários ao corpo, especialmente pés, olhos, dentes e pele; • vacine-se para pneumococos de 5/5 anos e para gripe todos os anos; • não fume e evite bebidas alcoólicas; • equilibre trabalho, divertimento e repouso; • durma regularmente e aproveite finais de semana e férias para descansar; • não cometa excessos. PROCURE AJUDA Há várias associações que oferecem ajuda ao diabético. A Intermédica oferece o PROGRAMA DE APOIO AO PACIENTE (PAP) que poderá orientá-lo, gerenciando e acompanhando seu tratamento, ajudando-o a praticar autocuidados, tais como: • o que, quanto e como se alimentar? • como praticar atividades físicas? • como realizar o automonitoramento (exames de sangue e urina)? • como examinar e cuidar dos pés? • como conservar e aplicar insulina, se for necessário? Além disso, orienta sobre atendimento médico e organiza grupos de apoio para esclarecimento de dúvidas e troca de experiências com outras pessoas nas mesmas condições, você terá oportunidade de compartilhar sentimentos e ansiedades entre amigos. Fonte: qualivida.intermedica.com.br

Deixe uma resposta