Mais informações sobre o câncer de colo do útero

O Colo Uterino é a porção do útero que se abre na vagina. O câncer neste local pode ser detectado no preventivo (Esfregaço de Papanicolaou) e curado quando diagnosticado precocemente.

CUIDADO COM O CÂNCER DE COLO DO ÚTERO O Colo Uterino é a porção do útero que se abre na vagina. O câncer neste local pode ser detectado no preventivo (Esfregaço de Papanicolaou) e curado quando diagnosticado precocemente. O exame preventivo de rotina tem diminuído as mortes causadas pelo câncer de colo uterino, mas a doença continua muito comum. O que sente uma mulher com câncer no colo do útero? Pode não haver sintoma algum. Em muitos casos, o câncer é detectado no exame de Papanicolaou antes de produzir qualquer manifestação. Nos casos mais avançados, o sangramento e dor durante a relação sexual são as queixas mais comuns. O que é Estadiamento? As chances de recuperação (prognóstico) e a escolha do tratamento dependem do estágio do câncer e das condições gerais de saúde da paciente. Uma vez diagnosticado o câncer, são realizados outros testes para descobrir se suas células se espalharam por outras partes do corpo. Estes exames fazem parte de um processo que se chama Estadiamento.

Para melhor planejar o tratamento, o médico precisa definir o estágio (estadiar) a doença. Os estágios do câncer de colo uterino são os seguintes: • Estágio 0 ou Carcinoma In Situ: o carcinoma in situ é o câncer em sua fase mais inicial. As células anormais são encontradas apenas na primeira camada de células no revestimento da cérvice e não invadem tecidos mais profundos. • Estágio I: o câncer envolve toda a cérvice mas não se espalhou pelos arredores. No Estágio IA, o câncer é pequeno, visualizado apenas com microscópico, nas camadas mais profundas da cérvice, enquanto que no Estágio IB o tumor possui um volume um pouco maior. • Estágio II: o câncer se espalhou para locais vizinhos mas ainda está confinado à pelve. No Estágio IIA, o câncer se espalhou e já atinge os dois terços superiores da vagina. No Estágio IIB, o câncer se espalhou nos tecidos circunjacentes ao colo uterino. • Estágio III: o câncer se espalhou pela pelve, algumas vezes já comprometendo a porção mais inferior da vagina. As células também podem se espalhar, bloqueando os ureteres (tubos que conectam os rins à bexiga). • Estágio IV: o câncer se espalhou para outras partes do corpo. No Estágio IVA, o câncer pode ser encontrado em órgãos próximos, como bexiga ou reto. No Estágio IVB, observa-se acometimento de órgãos mais distantes, como os pulmões. • Recorrente: significa que o câncer voltou após ter sido tratado.

Ele pode recorrer na cérvice ou em outros locais. Quais são os princípios gerais do tratamento desta doença? Os tratamentos aplicáveis ao câncer de colo uterino podem ser divididos em três grandes grupos: • Cirurgia: o médico pode utilizar várias abordagens cirúrgicas, como conização (remoção de um fragmento de tecido em forma de cunha, contendo as células cancerosas), excisão eletrocirúrgica em alça (o câncer é retirado com uma alça conectada à uma fonte de corrente elétrica, que serve como um bisturi elétrico), excisão a laser (obedece mais ou menos ao mesmo princípio da alça), histerectomia (cirurgia onde o útero e a cérvice são retirados com o câncer). Se o útero é retirado através da vagina, a cirurgia é chamada Histerectomia Vaginal. Se ele é retirado através de um corte (incisão) no abdome, a cirurgia é chamada Histerectomia Total Abdominal. Em algumas ocasiões, os ovários e as trompas também são removidos – Salpingo-oferectomia bilateral. A Histerectomia Radical é uma operação onde a cérvice, o útero e parte da vagina são removidos, juntamente com os linfonodos da área. Nos casos em que o câncer se espalhou para além do colo uterino ou dos órgãos genitais femininos, pode ser necessário retirar parte do intestino grosso, reto ou bexiga. • Radioterapia: consiste na utilização de raios X ou outras radiações de alta energia para matar células cancerosas e diminuir o tamanho dos tumores. A radiação pode vir de uma máquina (radiação externa) ou de materiais radioativos implantados no corpo (radiação interna). A radioterapia pode ser utilizada isoladamente ou associada à cirurgia. • Quimioterapia: utiliza drogas para matar as células cancerosas. A quimioterapia pode ser administrada na forma de comprimidos ou de injeções na veia. Ela é chamada de tratamento sistêmico pois as drogas ganham a corrente sanguínea e viajam pelo corpo todo, matando células cancerosas fora da cérvice. Como é realizado o tratamento? O tratamento a ser utilizado é definido de acordo com o estágio da doença, o tamanho do tumor, a idade da paciente, suas condições gerais de saúde e seu desejo de ter filhos. Em gestantes, o tratamento pode ser retardado dependendo do estágio do câncer e de quantos meses se encontra a gravidez.

As opções de tratamento a partir do estágio da doença são as seguintes: • Estágio 0: as opções são Conização (retirada em cunha do local com o câncer), Cirurgia a Laser, Excisão com alça eletrocirúrgica, Criocirurgia, Histerectomia (vaginal ou abdominal total, indicada para mulheres que não podem mais ou não desejam mais engravidar). • Estágio I: no estágio IA, pode-se utilizar Histerectomia total abdominal com ou sem salpingo-ooferectomia bilateral (aconselha-se histerectomia radical nos casos onde existe invasão mais profunda que 3-5 mm), Conização ou Radioterapia interna. No estágio IB, podem ser recomendados Radioterapia interna e externa, Histerectomia radical, Histerectomia radical + radioterapia e quimioterapia ou Radioterapia + quimioterapia. • Estágio II: nas lesões em estágio IIA, o tratamento consiste em Radioterapia interna e externa, Histerectomia radical, Histerectomia radical + radioterapia + quimioterapia ou Radioterapia + quimioterapia. No câncer em estágio IIB, emprega-se Radioterapia interna e externa + quimioterapia. • Estágio III: radioterapia interna e externa + quimioterapia. • Estágio IV: no estágio IVA, radioterapia interna e externa + quimioterapia. No estágio IV B, o tratamento (radioterapia ou quimioterapia) é direcionado para o alívio dos sintomas causados pelo câncer. • Câncer recorrente: radioterapia + quimioterapia ou quimioterapia isoladamente, para aliviar os sintomas causados pelo câncer. www.meaumarci.hpg.ig.com.br Por Dr Alessandro Loiola

Deixe uma resposta