Métodos anticonceptivos

A pílula funciona através da ingestão diária de uma pequena quantidade dos hormônios que são produzidos nos ovários, inibindo a ovulação. Existem outras indicações médicas para uso da pílula: endometriose, ovários policísticos, tensão pré-menstrual e cólica menstrual.

Pílula Vaginal Foi lançada em maio de 1999 para as mulheres que enjoam muito com o anticoncepcional oral. Trata-se de uma descoberta do médico brasileiro Elsimar Coutinho. Pílula do Dia Seguinte Só deve ser usada em caso de emergência e não como método anticoncepcional de rotina. Nem sempre surte resultados e pode ter efeitos colaterais intensos. Usada até 24 horas após a relação tem um índice de falha de 5 %. Entre 25 e 48 horas o índice de falha aumenta para 15 % e entre 49 e 72 horas o índice chega a 42 % de falhas. Injeção anticoncepcional Devem sempre ser injetadas na região glútea.

Existem três tipos de anticoncepcionais injetáveis: aquelas que devem ser aplicados no 8º dia da menstruação, outros são aplicados no 1º dia da menstruação e daí em diante a cada 30 dias e a última deve ser aplicada a cada três meses. Provoca ausência de menstruação e a fertilidade pode demorar um pouco para voltar. Anel vaginal Contém Etonogestrel e Etinilestradiol.

A colocação é no 5º dia da menstruação e deve permanecer no local por 21 dias. A mulher deve introduzi-lo na vagina empurrando-o com o dedo até não senti-lo mais. Para retirá-lo basta puxar o anel. Deverá ser feita uma pausa de sete dias e novo anel deve ser utilizado por mais 21 dias.

As vantagens são: não tomar a pílula todo dia e outra vantagem é que os hormônios serão absorvidos diretamente pela circulação evitando alguns efeitos colaterais desagradáveis da pílula oral. É um método conveniente, pois só precisa ser aplicado uma vez ao mês. Você mesma coloca e retira o anel, conferindo controle sobre o método contraceptivo. Não interfere no ato sexual, a maioria das usuárias e de seus parceiros não sente o anel durante a relação. Implante anticoncepcional Implante é uma pequena cápsula contendo etonogestrel, um hormônio anticoncepcional, que é introduzida embaixo da pele por meio de um aplicador descartável. A duração do implante é de aproximadamente três anos e funciona como inibidor da ovulação.

Uma vantagem do método é que muitas mulheres terão menos fluxo de menstruação ou não terão menstruações durante seu uso. Em algumas poucas haverá sangramento em épocas fora do normal. Endoceptivo É uma nova forma de anticoncepcional hormonal que é colocado dentro do útero, daí seu nome. Trata-se de uma forma de DIU em forma de T com um reservatório que contém 52 mg de um hormônio chamado levonogestrel. Deve ser colocado por um médico. A duração é de aproximadamente cinco anos.

Uma vantagem do método é que muitas mulheres terão menor fluxo de menstruação ou não terão menstruações durante seu uso. Diafragma Pequeno anel de metal recoberto por uma película de borracha ou silicone que é colocado pela mulher dentro da vagina antes da relação e retirado 12 horas após. Ele impede que os espermatozóides entrem no útero. Inicialmente o tamanho do diafragma deve ser medido por um médico. A duração do diafragma é muito grande, basta cuidados de conservação. Para ser eficiente ele tem de ser usado junto com um creme espermaticida. DIU Dispositivo Intra Uterino é uma pequena peça de plástico recoberta com cobre que é colocado dentro do útero.

Tão eficiente quanto a pílula e é uma boa escolha para aquelas mulheres que já tem filhos e que desejam espaçar a próxima gravidez por mais de dois anos, ou para aquelas que têm dúvidas sobre uma solução definitiva. Os DIUs mais modernos duram de 5 a 10 anos no organismo da mulher. São colocados dentro do útero pelo médico e é necessário que a mulher faça controle periódico do DIU.

Nem sempre mulheres que não tiveram filhos se adaptam bem ao DIU. Camisinha feminina Método novo no Brasil e pode ser encontrada nas principais redes de drogarias. Tem todas as vantagens da camisinha masculina e deve ser usada pela mulher durante a relação e retirada logo após. Camisinha masculina Também chamada de preservativo é a única maneira segura de fazer sexo despreocupado com doenças sexuais ou AIDS. Deve ser colocada no pênis ereto. Vasectomia Ligadura dos canais deferentes no homem. É uma pequena cirurgia feita com anestesia local em cima do escroto (saco). Não precisa de internação.

Deixe uma resposta