Movimentos do bebê e bem estar fetal.

Este é um texto introdutório de exemplo para visualização do novo Site Médico. Em breve, totalmente reformulado.

O bebê se mexe desde o período embrionário, ou seja, desde as primeiras semanas da gestação. No entanto, como ele é muito pequeno, não é possível notar sua movimentação. Através do exame de ultra-som é possível observar o bebê se mexendo. A partir de 16 a 20 semanas, dependendo de cada mãe, é possível perceber a movimentação fetal. As mulheres grávidas pela primeira vez normalmente notam mais tardiamente os movimentos do bebê quando comparadas àquelas que já estiveram grávidas antes. À medida que a gestação evolui, os movimentos do bebê se tornam mais evidentes e freqüentes. A movimentação fetal é normal, portanto não há razão para se preocupar com o bebê que “mexe demais!”. O bebê saudável, com energia e nutrientes suficientes para o seu bem-estar, mexe bastante. Tendo períodos do dia em que a movimentação é mais comum e outros períodos em que o bebê fica mais quietinho (momento este em que ele está dormindo). É sempre importante lembrar que não existe um padrão de movimentação fetal considerado como ideal e, como uma criança é diferente de outra, um bebê pode mexer menos que outro sem que isto queira dizer que ele não seja tão saudável quanto o outro, ele é apenas diferente. Com a aproximação do final da gestação, é normal a mãe referir que seu bebê não mexe tanto quanto antes, o que se justifica pelo fato de não haver mais tanto “espaço” no útero para que o bebê se movimente. Os pais devem conversar com seu bebê, pedindo para ele se movimentar… Dessa forma, normalmente o bebê se mexe, acalmando os pais! Porém, qualquer dúvida quanto à diminuição da movimentação fetal deve ser conversada com o obstetra, é muito importante que ele saiba quais são suas dúvidas para que ele possa avaliá-las e tomar as providências que ache necessário. CPDT – Centro Pré-Natal de Diagnóstico e Tratamento

Deixe uma resposta