O que é artrose e “bico de papagaio “?

A artrose constitui a forma mais comum de reumatismo, sendo, na realidade

 

 

A artrose constitui a forma mais comum de reumatismo, sendo, na realidade, uma das doenças mais frequentes na espécie humana e um dos principais fatores de incapacidade física dos idosos. Em graus variados, julga-se que afeta a maior parte da população depois dos 60 anos, embora só em alguns casos atinja gravidade suficiente para determinar sintomas e conduzir ao diagnóstico definitivo. A observação da artrose em numerosos esqueletos pré-históricos demonstra a sua antiguidade. Não se trata pois de uma “doença da civilização” embora as articulações afetadas sejam, em certa medida, influenciadas pela adaptação da espécie á postura ereta e pela profissão. A frequência da artrose aumenta com a idade. Trata-se de uma doença que afeta cerca de 20% da população aos 40 anos e quase 100% aos 80 anos. Embora não haja cura para a artrose, o tratamento adequado permite aliviar os sintomas, melhorar a capacidade funcional e a qualidade de vida, bem como prevenir ou corrigir problemas articulares mais graves. O conhecimento do paciente sobre a sua doença representa, como em quase todas as formas de reumatismo, um elemento da maior importância na determinação dos resultados do tratamento. O que é Artrose A artrose resulta da destruição progressiva dos tecidos que compõem as articulações, conduzindo à instalação progressiva de dor, deformação e limitação dos movimentos. Numa articulação normal, os topos dos ossos que a compõem estão cobertos por um material elástico esbranquiçado, a cartilagem, que permite o deslizamento suave dos ossos e atua como uma almofada que absorve o impacto dos ossos no movimento. Os ossos de uma articulação são mantidos em posição por ligamentos e tendões, que permitem apenas os movimentos normais. Os músculos são também determinantes na manutenção da estabilidade da articulação, sendo esta encerrada numa cápsula fibrosa, no interior da qual uma pequena quantidade de liquido sinovial acua como lubrificante. Na artrose, começa por ocorrer uma deterioração da cartilagem, que perde a sua regularidade e elasticidade, o que diminui a sua eficácia e contribui para a sua destruição adicional com o uso e traumatismo. Com o tempo, grande parte da cartilagem pode desaparecer completamente. Na ausência completa da tal “almofada” da cartilagem os ossos roçam diretamente entre si, causando sensação de atrito, dor e limitação de movimentos . Com o tempo, podem sofrer deformação visível ou palpável, cuja tradução mais comum consiste nos osteofitos, conhecidos popularmente, na coluna por bicos de papagaio. Em alguns casos, fragmentos da cartilagem ou do osso soltam-se para o interior da articulação, podendo bloquear os seus movimentos. Por outro lado, as estruturas de contenção da articulação, como os tendões e ligamentos , são colocados sob tens ão excessiva, podendo romper ou inflamar.

 

Estas alterações, que constituem uma importante causa de dor e incapacidade, podem ser eficazmente tratadas, quando a doença é detectada precocemente. Torna-se possível, com tratamento adequado, evitar ou retardar grande parte da destruição da articular e suas consequências. Quais articulações afetadas Todas as articulações poderão ser atingidas pela artrose. Contudo, a anca, os joelhos, os pés e a coluna (articulações de carga) são, de longe, as mais vulgarmente atingidas, devido ao esforço a que são sujeitas. Uma forma relativamente comum, mas particular, atinge predominantemente as articulações mais próximas das unhas das mãos, problemas mais frequentes em mulheres após a menopausa. A articulação da base do polegar é também afetada com frequência, particularmente em donas de casa e noutras profissões com uso intensivo do polegar. Articulações como os ombros, os cotovelos, os punhos e os tornozelos menos frequentemente são atingidas, a não ser como consequência de traumatismos ou de certas doenças gerais . Quem corre maior risco ? De uma maneira geral, a artrose é mais frequente e mais grave no sexo feminino. A obesidade constitui um importante fator de risco, sobretudo no caso do joelho e da anca, sendo a relação menos clara para a artrose da coluna, embora a obesidade aumente a dor nesta situação, não existindo no que se refere à artrose das mãos . Algumas profissões com particular exigência física têm também maior tendência a determinar artrose, sendo esse o caso da industria têxtil, em relação ao polegar, da agricultura relativamente à anca e da industria mineira na artrose do joelho. A doença tem alguma carga hereditária, particularmente nas formas generalizadas atingindo as mãos. Por outro lado, todos os traumatismos podem aumentar o risco de artrose, particularmente quando ocorrem fracturas que atingem as articulações ou rompem os seus ligamentos. Fonte: Brasil Medicina

Deixe uma resposta