O que é que a banana tem?

Tem potássio, que é um mineral importante para o bom funcionamento

A banana é um alimento rico em carboidratos, que fornece energia de forma rápida ao organismo. Tem potássio, que é um mineral importante para o bom funcionamento dos músculos, inclusive o cardíaco; e em vitamina B6, essencial para a formação de células do sangue e de substâncias para o cérebro”, diz a nutricionista Cibele Crispim (SP), da RGNutri Consultoria Nutricional. Segundo a especialista, a fruta ainda é indicada para portadores de pressão alta que usam medicamentos diuréticos. Atenção Alguns grupos devem ingerí-la com muita moderação.

Entre eles estão os obesos e os diabéticos. “A banana possui elevado índice glicêmico (IG), ou seja, faz o corpo produzir grande quantidade de insulina, alerta o médico Paulo Olzon Monteiro da Silva. Isso deve ser levado em conta porque a insulina é um hormônio que tem o poder de carregar o açúcar para dentro dos músculos na forma de glicogênio. Quem sofre de insuficiência renal também precisa evitar o alimento, devido à grande quantidade quantidade de potássio existente nele e que, em excesso, é muito perigoso a esses pacientes. Verdades e mitos Combate ansiedade e depressão: verdade.

Ela contém triptofano, nutriente encontrado na produção de serotonina (substância responsável pelo humor) que pode elevar sua quantidade presente no cérebro. Ajuda a curar ressaca: verdade. o consumo de álcool altera o fornecimento de energia para o corpo. Dessa forma, quando uma pessoa de ressaca, é importante ao organismoa reposição de carboidratos. Favorece a concentração: mito. Não há estudos que comprovem a relação Alivia sintomas da TPM: verdade.

A vitamina B6, presente no alimento, está envolvida na melhora Futuro O cientista norte-americano Charles Arntzen trabalha no desenvolvimento de uma variedade de banana geneticamente modificada, que servirá de imunizaçãocontra a hepatite B. No futuro, a técnica levará a uma grande redução de riscos e custos em comparação com a vacinação tradicional. Fonte: Revista Viva Saúde

Deixe uma resposta