O que é vaginose bacteriana

Na maioria dos casos, a contaminação ocorre pelo contato

 

A vaginose bacteriana é uma infecção que ocorre em função de um desequilíbrio na flora da vagina causado pela redução das bactérias “protetoras” e aumento das bactérias “estranhas à vagina” (como as bactérias do intestino e as do esperma) por contaminação. Na maioria dos casos, a contaminação ocorre pelo contato de fezes com a vagina, seja pela má higiene ou pelo contato do órgão sexual masculino com o ânus e depois com a vagina. Esse desequilíbrio deixa a vagina “desprotegida”, gerando um ambiente propício para a entrada do vírus HIV, causador da AIDS, e outras doenças sexualmente transmissíveis como a infecção por clamídia e a blenorragia (gonorréia). A vaginose bacteriana é simples de ser tratada. No entanto, pode trazer implicações mais sérias se não for curada, pois aumenta as chances da mulher desenvolver algum tipo de inflamação pélvica e no colo do útero. Essas inflamações podem levar à infertilidade ou danos graves às trompas de falópio. Se a mulher estiver grávida, a doença pode provocar parto prematuro ou o bebê poderá nascer com baixo peso. Normalmente, os parceiros não precisam fazer também o tratamento de vaginose bacteriana, mas a doença pode ser transmitida entre parceiras femininas.

 

SINTOMAS Mulheres com vaginose bacteriana apresentam corrimento vaginal com odor desagradável, mais acentuado após o coito e no período menstrual. O odor é descrito como “cheiro de peixe” e tem cor branca ou cinza. O corrimento tem aspecto cremoso e, à vezes, apresenta bolhas como uma espuma. Em alguns casos, a mulher sente ardência ao urinar e coceira ao redor da vagina. Pode haver dor durante as relações sexuais. Entretanto, algumas mulheres podem ter a doença e não apresentar nenhum sintoma. O diagnóstico da doença pode ser feito durante a consulta ginecológica, por meio do exame de bacterioscopia (um pouco do corrimento é colocado em uma lâmina que é examinada ao microscópio para análise da flora) e medição do pH vaginal (é realizado por meio de uma fita de papel indicador de pH, colocada em contato com a parede vaginal, durante um minuto). TRATAMENTO O tratamento de vaginose bacteriana é feito à base de medicamentos anti-microbianos e é essencial para mulheres grávidas.

A vaginose bacteriana pode voltar mesmo após o tratamento. Para saber mais sobre o tratamento da vaginose bacteriana, converse com o seu médico. PREVENÇÃO A vaginose bacteriana também está associada ao comportamento sexual da mulher em relação a novos ou múltiplos parceiros sexuais. A doença raramente aparece em mulheres que nunca tiveram relações sexuais. Alguns cuidados simples ajudam na redução do risco de desequilíbrio do balanço natural da vagina e evitam o desenvolvimento da vaginose bacteriana: – Use camisinha durante as relações sexuais; – Evite o uso das “duchinhas” e dos bidês, pois são locais onde há acúmulo de microorganismos em função da má higiene; – Siga o tratamento prescrito pelo seu médico até o fim, mesmo que os sintomas desapareçam antes do término da medicação; – Limpe a vagina sempre no sentido da parte da frente para trás. http://zambon.com.br

Deixe uma resposta