Olheiras podem ter causas variadas

Os tratamentos podem envolver laser, luz intensa pulsada,

 

 

Os tratamentos podem envolver laser, luz intensa pulsada, tratamentos tópicos e até cirurgia das pálpebras Em grupos de amigos, as olheiras costumam ser motivo de gracejo: indicam que o colega dormiu mal porque caiu na gandaia. Mas as causas para estas manchas escurecidas ao redor dos olhos podem ser mais variadas. De acordo com o Dr. Alberto Goldman, Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Presidente da Sociedade Brasileira de Laser na região sul, as olheiras também podem estar relacionadas com: . gravidez . uso de pílula anticoncepcional . situações de stress . período de enxaqueca . fumo . ingestão excessiva de álcool . uso de algumas medicações . doenças sistêmicas como diabetes . alterações da supra-renal . problemas de tireóide . doenças do fígado Também contam fatores hereditários e étnicos, como em pessoas de origem árabe, indiana ou ibérica.

 

O cirurgião salienta que a pele mais fina das pálpebras é especialmente sensível à exposição solar, o que facilita sua pigmentação, assim como a presença de pequenos vasos sangüíneos e um depósito de melanina que ajuda a escurecer a pele. Finalmente, a presença de bolsas palpebrais pode, por efeito de sombra, ressaltar o aspecto indesejado desta hiperpigmentação. “Por todos esses fatores, a opção pelo tipo de tratamento deve ser resultado de uma adequada avaliação médica”, aconselha o médico. O paciente conta atualmente com uma série de técnicas que auxiliam a amenizar o aspecto desagradável gerado pelas olheiras, sendo necessária, em alguns casos, uma associação de métodos para a obtenção de melhores resultados.

“Quando existe uma causa ou doença associada, logicamente ela deve ser tratada”, explica Goldman. Confira abaixo algumas das técnicas usadas: Laser e Luz Intensa Pulsada – Um tipo especial de laser é utilizado para atenuar os pigmentos. Denominado Q-Switch laser, a energia luminosa se concentra nas áreas mais escuras, rompendo o pigmento e facilitando sua eliminação pela pele ou através de células do próprio organismo que se encarregam de “carregar” os pigmentos. Quando as olheiras apresentam também um componente de vasos, opta-se pela utilização de outros tipos de laser ou a intensa pulsada. Normalmente, a melhora é progressiva, sendo necessárias algumas sessões. O procedimento é rápido, não é necessária anestesia e o retorno à rotina é imediato. Em casos especiais, o laser tipo Érbium também pode ser utilizado, eliminando a camada superficial da pele escurecida. Fonte: eagora.com.br

Deixe uma resposta