Por que não consigo engravidar?

Problemas ovulatórios, obstruções na trompa

 

Muitos casais se deparam com um problema inesperado quando decidem ter um filho: a infertilidade permanente ou temporária. Estima-se que 10% das pessoas apresentem algum tipo de dificuldade de fertilização. Antes de fechar as portas para o sonho de ter um bebê, o casal deve procurar ajuda médica e tentar tratamentos que aumentem as chances de fecundação. A constatação do problema só é feita com acompanhamento médico e exames que podem revelar as causas e traçar diagnósticos precisos para cada disfunção. “A infertilidade, masculina ou feminina, pode ser revertida em muitos casos”. Com tratamentos, as chances de gravidez chegam a 30%, mesma taxa de um casal que não apresenta problemas”, diz Ricardo Barini, coordenador do Programa de Medicina Fetal da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

 

Problemas ovulatórios, obstruções na trompa, doenças uterinas, infecções no colo do útero e até fatores imunológicos estão entre as principais causas de infertilidade feminina. “Muitas mulheres têm dificuldade de ovular ocasionada por síndrome dos ovários policísticos, disfunções na tiróide ou nas glândulas supra-renais”, explica Barini. As obstruções nas trompas podem ser causadas por endometriose ou algum tipo de aderência que dificulte a mobilidade, ou seja, o transporte do óvulo até o útero que é realizado pela trompa, fator fundamental para a fecundação.

Na maioria das vezes, os problemas no útero são causados por miomas e pólipos. As infecções do colo do útero também impedem a gravidez porque deixam o muco vaginal hostil, não permitindo a sobrevivência e passagem do espermatozóide. “Há casos em que a mulher não engravida porque seu sistema imunológico entende o espermatozóide como um intruso e o rejeita”, esclarece o ginecologista. O uso de drogas, álcool, remédios sem prescrição e hábitos de vida sedentários pode piorar o quadro ou ainda causar infertilidades passageiras. Fonte: Dr.Ricardo Barini Ginecologista e obstetrícia Redação Terra

Deixe uma resposta