Prevenção do câncer de colo uterino

Os programas atuais de controle do câncer de colo uterino, baseados em coletas repetidas de colpocitologia oncológica

 

 

Os programas atuais de controle do câncer de colo uterino, baseados em coletas repetidas de colpocitologia oncológica (exame de Papanicolaou), têm sido eficazes, no entanto, na América Latina, o câncer de colo uterino é a segunda neoplasia mais frequente, e também a segunda causa de morte por câncer entre as mulheres. A conscientização feminina de que a prevenção, bem como o diagnóstico e o tratamento das lesões em uma fase que chamamos de pré-câncer, além de ter fundamental importância, é a única possibilidade de evitar a evolução para o câncer.

 

O exame ginecológico com a coleta de material para avaliação citológica já é bem conhecido, mas nem sempre realizado com a regularidade necessária. Muitas mulheres, ainda hoje, passam longos períodos sem consultar o ginecologista. Na vigência de alterações no exame citológico (preventivo), serão indicados outros exames complementares como a colposcopia e eventualmente a biópsia, para estudo anátomo-patológico e, diante deste resultado, será indicado o melhor tratamento, sempre com grandes possibilidades de cura.

Sabe-se da relação do vírus HPV (Papilomavirus Humano) como um dos fatores envolvidos no desenvolvimento de lesões pré-câncer de colo uterino, sendo assim, foram elaboradas vacinas profiláticas (preventivas) já disponíveis no mercado, indicadas para mulheres ativas sexualmente (ainda não infectadas pelo vírus HPV) ou para mulheres inativas sexualmente a partir dos nove anos de idade. Elas são específicas contra os vírus de maior potencial oncogênico. Vacinas terapêuticas estão em fase de desenvolvimento. É importante ressaltar que, mesmo tendo sido vacinada, a mulher deverá continuar realizando os seus exames de Papanicolaou regularmente. Ângela Carvalho, ginecologista e sexóloga (Curitiba). Fonte: www.drogamestra.com.br

Deixe uma resposta