Prevenção e fatores de risco do câncer de pele

O câncer de pele ocorre mais comumente em pessoas de pele clara, olhos claros

 

 

O câncer de pele ocorre mais comumente em pessoas de pele clara, olhos claros, que se expõem freqüente e prolongadamente ao sol. Se for feito um diagnóstico precoce seguido de tratamento imediato, a maioria dos cânceres de pele pode ser curada. Os tipos mais freqüentes de câncer de pele são: carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma. O melanoma é o tipo de câncer de pele mais raro e também o mais maligno, por ter capacidade de se espalhar. O melanoma pode ocorrer sobre uma pinta já existente ou surgir sobre pele normal. Um dos principais fatores que levam ao surgimento do câncer de pele é a exposição ao sol e à radiação ultravioleta. Os raios solares se tornaram mais perigosos com a destruição da camada de ozônio. Queimaduras de sol, principalmente na infância e adolescência, é a causa mais comumente associada ao melanoma. É muito importante usar protetores solares e evitar a exposição ao sol em horários em que os raios solares incidem mais fortes, isto é, das 10 às 16 horas. Todas as pessoas devem observar o aparecimento de feridas que não cicatrizam, de manchas escuras ou nódulos na pele, ou de alterações em pintas como aumento, modificação da cor, prurido, sangramento.

 

Alguns desses fatores de risco podem ser alterados, isto é, pode-se modificar a exposição que cada pessoa tem a um determinado fator, diminuindo a sua chance de desenvolver o câncer de pele. Existem os fatores de proteção que são aqueles que quando evitados diminuem o risco de uma pessoa desenvolver câncer de pele. Evitar a exposição excessiva ao sol da mesma forma que se evita queimaduras solares é a forma mais adequada de prevenir esse tipo de melanoma. Indivíduos de pele clara, que ficam vermelhos quando se expõem ao sol e ainda que não bronzeiam com facilidade, apresentam maior risco de desenvolver qualquer um dos tipos de câncer de pele. O ideal é que essas pessoas procurem um médico, de preferência dermatologista, regularmente para que a sua pele seja examinada. Nesse exame, procuram-se sinais que tenham alguma característica que indiquem que estas lesões possam tornar-se malignas. São casos em que a retirada das lesões é indicada. Peça ao seu médico orientações sobre como fazer um auto-exame de pele, que tipo de lesões precisam ser mais observadas, que alterações a pele pode apresentar e com que freqüência você deve ser procurá-lo para uma consulta. Fonte: www.oncoguia.com.br

Deixe uma resposta