Produto diet e light, como diferenciar?

Na busca por um peso saudável, as pessoas usam e abusam

Estes produtos estão por toda parte, espalhados nas pratileiras de supermercado, nas despensas, em lachonetes e etc, os produtos vão desde leite, iogurtes, pães, geléias, refrigerantes, requeijão, chocolates, barras de cereais até comidas pré-cozidas. Os produtos diet e light se multiplicam rapidamente e estão cada vez mais presentes na vida dos consumidores brasileiros. Contudo, apesar do aumento significativo no consumo, será que as pessoas sabem diferenciar os produtos diet dos light? Na busca por um peso saudável, as pessoas usam e abusam destes produtos, algumas vezes com exagero e sem a orientação de um nutricionista. Muitas pessoas relacionam produtos diet com açúcar e light com gordura. Algumas pesquisas já realizadas, revelaram que maior parte da população desconhece as características desses produtos, o seu real conceito. É importante entender o termo diet e light, de maneira que se possa escolher o produto de acordo com as necessidades e restrições.

 De acordo com o Ministério da Saúde, alimentos dietéticos são aqueles produzidos de forma que sua composição atenda às necessidades de indivíduos com exigências físicas, metabólicas, fisiológicas e/ou de doenças específicas. Nesses casos podem ser incluídos os indicados para as dietas com restrição de açúcar ou de sal, gorduras, colesterol e proteínas. Os alimentos industrializados são denominados produtos alimentícios derivados de um alimento in natura ou de matéria-prima alimentar, adicionado ou não de outras substancias permitidas, obtidos por processo tecnológico adequado, podemos dizer que, os alimentos modificados são aqueles aos quais se agregam, subtraem (total ou parcialmente) um ou mais ingredientes em relação ao alimento convencional correspondente. DIFERENÇA DOS PRODUTOS DIET E LIGHT DIET: De acordo com a legislação, são produtos onde ocorre uma redução bastante severa de um determinado nutriente que pode ser qualquer um, e não somente o açúcar, como pensam, e, o alimento chamado diet para açúcares, por exemplo, necessita ser isento ou conter no máximo 0,5% de açúcares em sua composição, sendo indicados para as pessoas que precisam de dietas específicas, como é o caso dos diabéticos que não podem consumir açúcar e estes são substituídos por adoçantes. Mas, isso não quer dizer que apenas por ser diet, um produto esteja liberado para os diabéticos, pois pode conter açúcar e terem dele retirado apenas o colesterol, por exemplo. “Para que o portador do diabetes possa consumir um alimento dietético, obrigatoriamente deve vir especificado na embalagem que o mesmo não contém açúcar”. LIGHT: São produtos que apresentam uma redução de pelo menos 25% de qualquer dos ingredientes normais, como: açúcares, gordura saturada, gorduras totais, colesterol e sódio, ou seja como ocorre com os diet, os nutrientes restringidos nos produtos light podem ser vários. Só que, nesse caso, ocorre uma redução em relação ao original.

ATENÇÃO Quem consome produtos diet apenas com a finalidade de está “sempre na linha” também deve ficar atento. Às vezes, os alimentos dietéticos engordam mais do que os originais. Isso acontece com o chocolate diet, por exemplo, não possui adição de açúcar, e para conservar sua consistência após a retirada do açúcar, ganha muito mais gordura, fazendo com que sua quantidade calórica fique bem maior do que o chocolate convencional. Um diabético pode consumi-lo em quantidades moderadas, mas não são recomendados para pessoas que querem emagrecer. Ter cuidado com alguns alimentos como: as geléias dietéticas, apesar da ausência do açúcar refinado em sua preparação, contêm bastante frutose, um açúcar de velocidade de absorção menor do que a glicose, mas também capaz de aumentar as calorias da alimentação diária do diabético. Se for consumida em grande quantidade, além de fornecer muitas calorias, também pode contribuir para alterações, como o aumento de gordura no sangue. Outro produto dietético que merece cuidado é a banana passa, pois a banana só já favorece o aumento rápido do açúcar no sangue e quando essa fruta é dessecada sua caloria aumenta ainda mais. Alguns produtos diet e light que contém em sua fórmula o ciclamato sódico, por exemplo, é contra-indicado para hipertensos e portadores de problemas renais.

É encontrado em adoçantes e vários refrigerantes. DICAS IMPORTANTES: . Adquira o hábito de ler os rótulos das embalagens para não se deixar enganar. Observe além do valor calórico, à composição do produto pois o desconhecimento e conceitos equivocados podem induzir a erro, com sérias conseqüências à saúde. . Os produtos diet e light quando consumidos em excesso contribuem para uma dieta hipercalórica. . Em relação aos adoçantes, os melhores para quem não deseja engordar são os que vêm em gotas, porque os que são em pó, imitando o açúcar refinado, geralmente contêm lactose ou frutose, que têm mais calorias do que os em forma líquida. . Mais importante que adquirir um produto diet ou light, é adotar uma alimentação variada e equilibrada, tanto na quantidade como na qualidade dos alimentos. Considerando todos esses aspectos, torna-se importante para o consumidor conhecer melhor esses produtos, a fim de saber se estão sendo realmente efetivos para o seu objetivo. Michele Oliveira de Lima Nutricionista/CRN-5405 Especialista em Obesidade e Emagrecimento michelelima.nutricionista@hotmail.com

Deixe uma resposta