Quais as causas da obesidade na infância?

Esse é um péssimo hábito, difícil de ser modificado em crianças. Por isso é melhor seguir estas dicas

 

A obesidade na infância quase sempre está relacionada com erros alimentares associados à inatividade física. Raramente decorre de doenças hormonais ou genéticas. Estima-se que em 90% dos casos o problema apareça por excesso de comida. É claro que fatores genéticos contribuem, mas a maior influência está no ambiente onde a criança vive e estuda. Algumas mães ainda acham bonito quando seus bebês são gordinhos, mas é necessário ter cuidado na alimentação desde a primeira infância para evitar um ganho de peso excessivo. Provavelmente, uma criança obesa será um adulto obeso se não forem tomadas algumas providências. Muitas mães acostumam seus filhos a ir passear no shopping e depois fazem um lanchinho em fast-foods, onde a maioria dos alimentos são fritos (Hambúrgueres, batatas fritas, etc..) e bebe-se refrigerante. Esse é um péssimo hábito, difícil de ser modificado em crianças. Por isso é melhor seguir estas dicas: – Crie novos hábitos alimentares saudáveis – Aumente a atividade física que seu filho faz (para ajudar a gastar o excesso de energia e evitar o acúmulo como gordura) – Restrições alimentares severas com o objetivo de perda rápida de peso podem trazer sérios problemas à saúde, além de atrapalhar o crescimento e desenvolvimento normal da criança. Além disso, é um grande estresse para a criança quando ela é pressionada a emagrecer passando grandes privações ou fome. – É necessário acompanhamento e orientação individualizada adequada à idade e ao nível de desenvolvimento em que a criança está. – É importante a colaboração da família. O tratamento baseia-se em educar a criança a adquirir novos hábitos alimentares mais saudáveis, de forma gradual. Como ajudar uma criança a emagrecer? Estabeleça horários regulares para que a criança faça suas refeições: Café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia. Almoço e jantar são as principais refeições e devem ser as mais completas. Retire ou diminua a oferta de alimentos muito calóricos como: – Biscoitos recheados – Doces – Balas – Reduza a freqüência de alimentos fritos, como, por exemplo, a batata frita. – Diminua as sobremesas doces, como pudins e sorvetes. Aumente a oferta destes alimentos – Estimule o consumo de todos os tipos de fruta: crie este hábito saudável na criança; – Não ofereça refrigerante; troque por suco de frutas; – Faça saladas com folhas e legumes variados, de forma que fiquem bem coloridas e atraentes; – Evite a presença de grande quantidade de doces, balas e biscoitos em casa. É muito mais difícil de dizer não a uma criança se ela já está vendo o alimento ou com ele na mão. Inverta a ordem de oferecimento dos alimentos – Comece pela fruta que pode ser cortada em pedacinhos ou raspada. – Ofereça a salada de folhas e os legumes – Sirva o restante da comida (arroz, feijão e algum tipo de carne) – Depois ofereça o suco (dê preferência aos naturais feitos na hora) O lanche da escola deve ser bem simples, sem alimentos como biscoitos recheados, refrigerantes e salgadinhos. A melhor opção ainda é o suco (que pode ser o de caixinha) e um sanduíche com pão e queijo. Outra opção saudável é vitamina de frutas ou iogurtes para beber. A obesidade infantil é fato e deve ser evitada e tratada com seriedade. Para orientações individualizadas é importante a ajuda de um nutricionista. Fonte: Emagrecimento.com

Deixe uma resposta