Reiki – energia vital

Reiki é a energia vital universal utilizada para a Cura Natural.

Rei significa universal e refere-se a essência energética cósmica e permeia todas as coisas. Ki significa energia vital que circunda todos os organismos vivos. Portanto Reiki é a energia vital universal utilizada para a Cura Natural de tudo que tem vida. Nosso método utilizado é através da colocação das mãos nas regiões das sete glândulas do corpo humano, que são os centros energéticos por onde tudo é captado. A energia vital universal é trazida para essas regiões revitalizando todos os setores do corpo humano que são coordenados por essas regiões, conseqüentemente trataremos das doenças respectivas. Além disso, por se tratar da energia de vida do universo, a Cura se processa no espiritual, emocional, no passado e no futuro de cada um. Com o Reiki, podemos limpar traumas, medos, frustrações, raivas, rancores do passado, bem como, preparar cada momento do futuro. Podemos também, tratar de pessoas a distância desde que elas autorizem.

As glândulas são as Supra-renais, as pancreáticas, timo(cardíaco), as gônadas(sexuais), tireóide, pituitária e Pineal. Quando elas estão bloqueadas ou em desequilíbrio provocam disfunções e problemas físicos, a saber respectivamente: – Supra-renais: raiva, impaciência, apego, materialismo, culpa, vícios, vergonha, violência, morte e dor, insuficiência renal, coluna vertebral, ossos, dentes, intestino grosso, ânus, reto, próstata, anemia, excesso de peso, pressão baixa, fadiga, pouca tonicidade muscular, problemas de circulação, desequilíbrio na temperatura do corpo, leucemia e tensão nervosa. – Gônadas (Glândulas sexuais): controle, sujeição ou insatisfação sexual, promiscuidade, rejeição, solidão, ressentimentos, vingança, ciúme, inveja, depressão, sistema reprodutor, bexiga, quadris, pernas, pés, nervo ciático, espasmos musculares, cãibras, cólicas, desordens menstruais e desequilíbrios hormonais.

– Pancreáticas: ansiedade, preocupação, indecisão, preconceito, desconfiança, negligência, mentira, baço, estomago, fígado, vesícula, intestino delgado, parte inferior das costas, sistema nervoso vegetativo, sentimento de inferioridade, falta de lógica e razão, insegurança e insônia. – Timo: desilusão, transição, pânico, depressão, coração, arritmia cardíaca, sistema circulatório, brônquios e aparelho respiratório, parte superior das costas, nervo vago, pele, rubor, pressão alta, colesterol alto, palpitações, acidose, síndrome de pânico e incapacidade de amar.

– Tireóide: Fracasso, apatia, desespero, limitação, medo, insegurança, auto reprovação, submissão, garganta, amídalas, laringe, cordas vocais, esôfago, suscetibilidades de infecções virais e bacterianas, resfriados, amidalites, faringites, dores musculares e de cabeça (nuca), problemas dentários, endurecimento dos maxilares (buxismo), herpes e medo de fracasso na vida social. – Pituitária: Ganância, arrogância, tirania, rigidez, alienação, sistema nervoso central, olhos (cegueira, catarata, glaucoma), ouvido (surdez), nariz (renite), falta de raciocínio lógico, vícios de drogas, álcool e outras compulsões. – Pineal: Neuroses, irracionalidade, desorientação, fobias, histeria, obsessão, cérebro, insônia, enxaqueca, disfunções sensoriais, neuroses, histeria, obsessão e materialismo.

O Reiki trará para as glândulas a energia de vida universal para que elas possam ter suas funções corretas e saudáveis, a saber: – Supra-renais: sobrevivência e existência terrena, ligação com o mundo material e energia física. – Gônadas (glândulas sexuais): reprodução e sexualidade. – Pancreáticas: personalidade, vitalidade, ação e vontade, paz e harmonia, auto-estima, proteção contra vibrações negativas.

– Timo: amor incondicional, união, sistema imunológico. – Tireóide: comunicação, criatividade, iniciativas, independência. – Pituitária: intuição, percepção, raciocínio lógico. – Pineal: ligação com energias superiores, plenitude de ser. Portanto o Reiki reequilibra seu organismo, sua saúde e traz uma grande paz interior. Fazendo de você uma pessoa feliz com Deus no coração! Por Cristina Leão.

Deixe uma resposta