Sabonetes íntimos

Sabonetes íntimos se diferenciam dos comuns porque têm o ph ácido, assim como a vagina. Seu grau normal varia de 3,8 a

 

 

Sabonetes íntimos se diferenciam dos comuns porque têm o ph ácido, assim como a vagina. Seu grau normal varia de 3,8 a 4,2. Até pouco tempo atrás eles não existiam. As mulheres lavavam a região genital com sabonete comum ou neutro. Sabonete de bebê ou glicerinado eram os mais recomendados pelos médicos ginecologistas. Quanto mais neutro fosse o sabonete, melhor. Só que, o pH vaginal fica em torno de 3,8 a 4,2. Traduzindo: Significa que é ácido e não neutro. Logo, foi fácil para a indústria farmacêutica deduzir que o melhor seria produzir um sabonete com o pH ácido para lavar a região íntima, pois assim o pH seria o mesmo do natural. Hoje em dia, esses sabonetes se popularizaram e há muitas opções no mercado, para todos os bolsos. Mesmo assim, se você não puder comprar ou, na hora do banho, perceber que o seu acabou vai aqui uma dica: Após o banho, dê uma última enxaguada na região com uma solução de 200ml de água e 1 colher(chá) de vinagre (de preferência o de maçã).

 

O que acho que falta nas prateleiras são mais opções de sabonete íntimo sem perfume. Há muitas mulheres alérgicas e muitos ginecologistas recomendam que não se use papel higiênico e absorvente perfumados e menos ainda desodorantes na região, o que poderia causar uma irritação. Um pouco mais a respeito Quando o ph da vagina está básico, a mulher fica mais propensa ao desenvolvimento de bactérias nocivas na região. Isso porque os lactobacilos acidófilos (também conhecido como os bacilos de Döderlein), que habitam normalmente a flora vaginal e são EXTREMAMENTE BENÉFICOS, vivem em pH ácido ( 3,8 – 4,2 ), o normal da genitália feminina, como já foi dito. Esses bacilos são os guardas que impedem a entrada de bactérias nocivas, e, se necessário travam uma verdadeira batalha com elas. Os sabontes íntimos corrigem o ph e protegem mais.

Mantém os bacilos de Döderlein vivos. Se o ph básico não é saudável para a vagina, acidez em excesso também traz incômodos como a proliferação de fungos. Então, não exagere, utilize apenas uma pequena quantidade por vez. Uma pequena quantidade na palma das mãos já é suficiente. E você vai ter sabonete por mais tempo. Lembre-se A consulta anual com o ginecologista é de extrema importância. Previne e trata várias doenças. O papa-nicolau por exemplo detecta um possível câncer de cólo de útero ainda no início de desenvolvimento. Se surgir alguma irritação, dor, ferida, coceira ou corrimento, procure um especialista. Ele vai prescrever o tratamento adequado. Abaixo algumas dicas dos ginecologistas: >Não usar sabonetes comuns em excesso, além de eles terem o ph básico, se usados em grande quantidades, podem provocar irritação. >Evitar calças Justas.

Mesmo que tragam mais conforto e beleza, elas provocam o abafamento da região, o que ajuda na proliferação de bactérias e fungos. >Dar preferência a calcinhas de renda e algodão que arejam mais a região íntima do que as de lycra. >Não depilar por completo a virilha, a vulva e o ânus. Esse tipo de depilação expõe a região a riscos, já que os pêlos estão ali com a função de proteger. >Dormir sem calcinha, isso ajuda a arejar o local, bactérias e fungos gostam de lugares quentes, úmidos e escuros. >Lavar as mãos antes de usar o banheiro e depois também. >Trocar o absorvente, interno de duas em duas horas, ou menos e o externo a cada 3 horas. > Lavar-se antes de dormir. > Opte por usar saias e vestidos mais vezes na semana. Renata FDG (ReFDG) – Farmacêutica e jornalista www.saudecomciencia.com

Deixe uma resposta