Sal: tem que saber usar (dicas para reduzir o sal)

Retire o saleiro da mesa; muitas pessoas têm o reflexo de colocar sal na comida quando vêem o

 

O sal é essencial ao bom funcionamento do corpo humano, mas é preciso muita moderação em seu uso, pois o consumo excessivo pode trazer vários prejuízos para o organismo, alerta a nutricionista Jocelem Salgado, professora de Nutrição da USP. “Deixar de colocar aquela pitadinha de sal a mais na comida pode ser melhor para o organismo do que se pensava antes; os estudos mostram que pessoas hipertensas poderiam até parar de tomar remédios se diminuíssem a presença do tempero em suas dietas”. Composto pelos minerais sódio e cloro, o cloreto de sódio (que é o sal que usamos na cozinha) está presente em todos os tecidos e fluidos do organismo humano, como, por exemplo, o suor e as lágrimas. Um homem adulto tem cerca de 250 gramas de sal em seu corpo, conta Jocelem. O sódio está contido naturalmente na maioria dos alimentos e tem um papel importante em diversas funções do corpo, mas quando consumido com exagero é o elemento diretamente relacionado com a hipertensão e outros problemas como derrame cerebral, catarata, problemas renais e até mesmo casos de câncer gástrico (estômago). O cloro também é essencial para uma boa saúde e é fundamental para o processo digestivo. Dose diária Embora a ingestão diária recomendada para uma pessoa saudável seja de 2,4g (o equivalente a uma colher de chá de sal), o brasileiro consome entre 4 a 6g por dia. Desse total, cerca de 75% é adicionado durante o preparo do alimento, com o objetivo de preservá-lo ou para lhe dar sabor. O restante está presente naturalmente no alimento. Atenção aos rótulos Os alimentos industrializados podem ser fontes muito ricas de sódio. Por isso, é preciso ficar atento aos rótulos. A nova legislação obriga os fabricantes de alimentos e bebidas incluírem nas tabelas de informação nutricional, a quantidade de sódio presente, bem como o valor diário de referência por porção (VD). Isto quer dizer que se no rótulo de uma massa congelada, por exemplo, você observar um VD de 40%, quer dizer que você estará ingerindo 40% do sódio necessário para atingir suas necessidades diárias. E isto em apenas uma porção do alimento. Merecem atenção também os termos que indicam a presença de ingredientes ricos em sal como salmoura, curado, salgado, picles, consomê e molho de soja. Picles e outros condimentos como mostarda, ketchup, molhos de salada e molhos de churrasco são ricos em sódio. Dicas para reduzir o sal Preparar as refeições em casa e evitar alimentos industrializados são atitudes que ajudam a diminuir a ingestão desse mineral em excesso. Retire o saleiro da mesa; muitas pessoas têm o reflexo de colocar sal na comida quando vêem o saleiro. A quantidade de sal e outros temperos salgados, na maioria das receitas, pode ser reduzida pela metade (ou até mais) sem uma mudança perceptível no sabor ou na textura. Abuse de ervas e condimentos, alho, cebola e suco de limão. Eles podem dar um novo sabor para o alimento. No restaurante, peça para que os molhos sejam servidos à parte ou, se possível, peça para que alguns pratos sejam preparados sem sal. Não existem estudos que comprovem que o sal marinho seja mais saudável que o sal de cozinha, garante a nutricionista. “O conteúdo de sódio de ambos é semelhante”. Fonte: Jornal da Orla

Deixe uma resposta