Sintomas da TPM

Entre os sintomas da TPM, podemos citar:

  1. Depressão, sentimento de desesperança, pensamentos auto-depreciativos;
  2. Ansiedade, tensão, nervosismo, excitação;
  3. Fraqueza afetiva, tristeza repentina, choro fácil, sentimento de rejeição;
  4. Raiva ou irritabilidade persistente, aumento dos conflitos interpessoais;
  5. Diminuição do interesse pelas atividades habituais;
  6. Sensação de dificuldade de concentração;
  7. Cansaço, fadiga fácil, falta de energia;
  8. Acentuada alteração do apetite;
  9. Distúrbios do sono;
  10. Sensação de estar fora do próprio controle;
  11. Inchaço e/ou sensibilidade mamária aumentada;
  12. Dor de cabeça;
  13. Dores musculares;
  14. Ganho de peso ou sensação de inchaço;

No entanto para ser considerada doença, e portanto sujeita a tratamento, é importante que estes sintomas de fato interfiram nas atividades habituais da mulher e que os mesmos ocorram na fase pré-menstrual e não em todo o ciclo.

Tratamento da TPM

Por se tratar de uma síndrome, não existem tratamentos específicos já que os sintomas variam muito de intensidade para cada mulher. Resultados não cientificamente comprovados mostram que a vitamina B6 (Piridoxina), a vitamina E, o cálcio e o magnésio podem ser usados com melhora dos sintomas.

Outro medicamento é o ácido gama linoleico que é um ácido graxo essencial. Pode ser encontrado no óleo de prímula. Existem advertências sérias do FDA americano a respeito de medicações alternativas naturais e de possíveis efeitos colaterais graves, portanto este, como qualquer outro medicamento, mesmo “natural”, só deve ser usado mediante prescrição médica.

Na verdade, este é o melhor caminho para o tratamento da TPM. Consultar um médico ginecologista e descrever para ele todos os sintomas que a mulher sente antes e depois da menstruação. O melhor medicamento é o que, sozinho ou associado, reduza os sintomas.

Como esta síndrome está ligada à ovulação, muitas mulheres podem se beneficiar do uso da pílula anticoncepcional que suspende a ovulação. Já nos casos graves de desordem disfórica pré-menstrual é necessária uma medicação mais específica sendo que a medicação usada com melhores resultados são os anti-depressivos principalmente o Prozac (Fluoxetina). Nos Estados Unidos chama-se Sarafem®.

Estudos recentes mostram que esta medicação usada na menor dose possível e durante a fase de tensão pré-menstrual tem melhorado muito a qualidade de vida das mulheres que experimentam esta disfunção.

O importante é que se entenda que esta não é uma doença, mas sim uma alteração fisiológica do ciclo menstrual feminino e que pode ser resolvida com medidas simples por parte do seu médico assistente.

Deixe uma resposta