Tintura: todo cuidado é pouco

Não tem jeito: tintura tende a ressecar o cabelo, porque altera as

 

 

Não tem jeito: tintura tende a ressecar o cabelo, porque altera as propriedades da queratina, que é um protetor natural dos fios. É o que alerta a dermatologista Flávia Addor, diretora técnica da Medcin, laboratório de pesquisa clínica. O problema mais comum, segundo a médica, é usar o produto de forma errada – deixar a química agir por mais tempo do que o prescrito, fazer misturas caseiras, utilizar itens não indicados pelo fabricante durante o preparo. “São erros que podem causar irritação no couro cabeludo, alteração de brilho e má `penteabilidade` (os fios embaraçam facilmente)”, explica Flávia. “As marcas atuais desenvolveram tecnologia para preservar ao máximo a integridade da queratina, por isso, é importante investir em produtos conceituados, seguir rigorosamente as instruções de aplicação e, de preferência, procurar um profissional.” Respeitar o intervalo entre uma tintura e outra é fundamental. Esse tempo – que pode ser de um mês ou mais, dependendo da condição do cabelo – é necessário para a recuperação dos fios. Errar a cor e ter de descolorir os fios para colori-los novamente é um processo altamente agressivo, conhecido por decapagem. Outra dica: não faça coloração no mesmo dia de procedimentos químicos, como alisamento, relaxamento, escova definitiva, etc. Segundo o dermatologista Valcenir Bedin, presidente da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo, uma vez destruída, a haste capilar nunca mais volta ao normal.

 

É possível apenas amenizar o estrago e melhorar a aparência do cabelo. Quando o processo já está feito, Bedin indica: hidratação, para que o fio retenha umidade; cauterização com queratina, aplicada com chapinha, que “preenche” os espaços entre as cutículas, que ficaram abertas por causa da agressão química; e reconstrução capilar, que é a mistura dos dois processos. “A principal queixa entre as mulheres é que a textura do cabelo muda após a tintura aplicada em excesso ou malfeita”, conta o médico, que costuma atender no Spa do Cabelo, salão que alia estética e tratamentos, e do qual é sócio. “Outra reclamação refere-se à eletricidade estática capilar, que piora com a tintura, dificultando o penteado. Nesse caso, indico aplicação de silicone ou produtos termo-ativados (mistura industrializada, que leva silicone e açúcar).” Uma vez colorido, o cabelo necessita de cuidados especiais, por ter sofrido ação química. Principalmente, para os mais estragados. Vale investir em xampus e condicionadores, entre outros produtos específicos para quem usa tintura; hidratar sempre os fios, de preferência, com produtos de tratamento intensivo. Após a lavagem, é válido ainda passar leave-in (sem enxágüe) e finalizar o penteado com silicone. Ambos protegem as cutículas dos fios, retendo a umidade. Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta