Unhas: os problemas mais comuns

Mãos e unhas bonitas são objetos de versos, fontes de inspiração, sensualidade e

 

 

Mãos e unhas bonitas são objetos de versos, fontes de inspiração, sensualidade e fetiche e, por isso mesmo, qualquer alteração gera preocupação. Em casos de doenças mais graves, o organismo reserva sua fonte de proteína, vitamina e de defesa para órgãos vitais. O nutriente fica escasso primeiramente nas unhas e nos cabelos, cujas funções são basicamente decorativa. Os problemas mais comuns: – Unhas fracas, quebradiças ou que descolam na sua parte distal: Na maioria dos casos, o problema ocorre por manipulação excessiva, como uso demasiado de esmalte, fortalecedores contendo formol, microtraumatismo em unhas (exemplo: digitadoras). Deve-se, no entanto, sempre descartar doenças da tireóide, diabetes, anemia, carência de ferro e medicamentos. O tratamento é simples. Podem ser usadas capsulas de gelatina, ferro, solução fortalecedora como o famoso casco de cavalo (que contém substâncias endurecedoras), hidratantes com uréia e silicone e banhos de silicone (que formam uma película protegendo temporariamente a lâmina ungueal). – Manchas brancas nas unhas: São muito comuns, geralmente sem significar doença.

 

Ocorrem por traumatismos demais na unha, ao se retirar a cutícula, já que a matriz da unha pode ser levemente afetada. – Unheiro: É o edema da cutícula. Pode ser causado por cândida (em pessoas que mexem muito com água ou umidade), ou por bactéria ( geralmente após um traumatismo, como tirar a cutícula no local). – Micoses: A mais característica é a unha que vai ficando porosa, descolando e formando uma massa por baixo. É importante salientar que não é pega só em pedicure, como muitos pensam. Uma prova disso é que homens que nunca vão à pedicure são os mais acometidos.

A causa é o fungo que existe no ar agravado pela predisposição familiar, diabetes, suor excessivo nos pés e uso contínuo de sapatos fechados. Microtraumatismo vão descolar a unha e facilitar a umidade debaixo dela, onde o fungo se acomodará. Existem atualmente antifúngicos orais muito eficientes. No caso de micose inicial, cortar bem a unha e usar antifúngicos locais. – Unhas encravadas: São defeitos constitucionais, onde a unha se encurva muito e entra dentro da carne, incomodando muito o paciente. É agravada com a idade e o corte errôneo da unha. Deve-se preventivamente cortar a unha reta, evitar tirar muito a cutícula nos cantos e em casos mais intensos recorre-se à cirurgia, que tira a matriz da unha responsável pelo seu crescimento naquele canto. Quando várias unhas são acometidas por algum problema, deve-se procurar o dermatologista para afastar algumas doenças como líquen plano, psoríase, etc. Fonte: acessa.com

Deixe uma resposta