Você sabe quanto tem de massa gorda e massa magra?

 

Densitometria de corpo total derruba confiabilidade da medida de prega e impedanciometria Seja por vaidade, seja pela saúde, a cada dia centenas de pessoas dão início a dietas e programas de exercícios. Normalmente, a decisão é tomada depois

de a pessoa conferir seu índice de massa corpórea (IMC) – obtido quando se divide o peso pelo quadrado da altura. Mas, só a perda de peso não diz muito sobre a quantidade de massa gorda e massa magra do indivíduo. É nesse ponto que a densitometria de corpo total desempenha seu principal papel. “Como o IMC não leva em conta os vários biótipos e o grau de desenvolvimento muscular da pessoa, muitos médicos foram buscar soluções para tentar corrigir essas distorções, como a medida das pregas da pele, a impedanciometria e a densitometria de corpo total”, diz o radiologista Rubens Schwartz, da URP Diagnósticos Médicos. Schwartz diz que, enquanto a medida da prega da pele exige que um profissional bastante experiente faça a medição em um ponto bastante específico do antebraço, a impedanciometria não é muito confiável.

“A balança de impedância bioelétrica utiliza sensores elétricos que, em contato com a sola do pé, promove a mensuração da composição corporal do paciente. Só que o fluxo elétrico é facilitado pelo nível de água no organismo. Ou seja, irá variar de acordo com o grau de hidratação de cada indivíduo”. Já a densitometria de corpo total, na opinião do radiologista, tem sido considerada o método mais confiável para a medição da massa magra (músculo + ossos) e da massa gorda. “Em muitos casos, ao decidir por um programa de dieta e exercícios, depois de um certo tempo, a pessoa se dá conta de que a perda de peso não foi significativa nem satisfatória.

O paciente desanima, desconhecendo que houve uma troca fundamental de massa gorda por massa magra. Ou seja, ele perdeu gordura e ganhou músculo – o que é extremamente saudável”, diz Schwartz. Na opinião do médico, a densitometria de corpo total deve ser realizada no início do programa de condicionamento físico, a fim de determinar a quantidade de massa gorda e massa magra do paciente, e repetida periodicamente, conforme indicação médica.

Fonte: Dr. Rubens Schwartz, médico radiologista da URP Diagnósticos Médicos Jornalista responsável: Heloísa Paiva Assistente de redação: Anita Stuani (11) 3266.0208 // 3266.8783

Deixe uma resposta