10 passos para prevenir anomalias

Lembre-se que qualquer mulher em idade fértil pode ficar ou estar grávida; Lave sempre as mãos

 

Nenhum bebê deveria nascer com um defeito que pode ser evitado, no entanto, cerca de 50% das crianças que nascem com uma malformação congênita (aquelas que estão presentes ao nascimento) poderiam ter sido evitadas através de medidas simples de prevenção. Há muito tempo que os países desenvolvidos se preocupam com esta prevenção porque lá as anomalias congênitas são a principal causa de mortalidade infantil. No entanto, em muitos países em desenvolvimento os defeitos congênitos já são a segunda causa de mortalidade no primeiro ano de vida. O ECLAMC (Estudo Colaborativo Latinoamericano de Malformações Congênitas) propõe as seguintes medidas gerais de prevenção: 1. Lembre-se que qualquer mulher em idade fértil pode ficar ou estar grávida; Lave sempre as mãos, isto evita o contato com infecções que podem chegar ao feto; Previna-se contra possíveis infecções sexualmente transmissíveis, elas também causam malformações; 2. Tente completar a sua prole enquanto você ainda é jovem. Os extremos trazem riscos: quando a mãe é adolescente ou quando a idade já está mais avançada; 3. Faça o pré-natal; O diagnóstico precoce de uma doença materna, durante a gravidez, permite o tratamento adequado e previne possíveis defeitos congênitos no feto; 4. Vacine-se contra a rubéola antes de engravidar; 5. Evite a utilização de medicamentos, a não ser que seja realmente necessário; Os remédios são causa importante de anomalias congênitas 6. Evite bebidas alcóolicas; Não é o alcoolismo que traz problemas para o feto, é o álcool; 7. Evite fumar e ambiente de fumantes; Os componentes do cigarro que você recebe pelo pulmão, o bebê recebe diretamente pelo sangue e, proporcionalmente em quantidade muito maior (é só comparar o tamanho da mãe e do bebê!); 8. Alimente-se bem e de maneira balanceada, prefira frutas e verduras; Tanto a malnutrição quanto a obesidade podem causar problemas ao bebê; 9. Questione seu médico sobre os risco que seu trabalho pode trazer à gestação; 10. Em caso de dúvida, consulte seu médico ou um serviço especializado. Estas medidas de prevenção são acessíveis a todos que dela queiram dispor e não requerem o uso de alta tecnologia nem de exames dispendiosos. É claro que medidas específicas podem ser necessárias numa determinada gestação, como a investigação pré-natal através de exames invasivos (biópsia de vilo corial, amniocentese) após a detecção de um sinal de alerta encontrado durante um exame de ultra-som ou um teste bioquímico, mas isto jáé prevenção secundária, ou seja, quando a criança já está se desenvolvendo. Lembre-se: a prevenção primária começa antes da mulher engravidar (infelizmente mais da metade das gestações ocorrem sem planejamento familiar), ela é simples, barata e muito eficaz! Fonte: maternofetal

Deixe uma resposta