A gravidez e a beleza da mulher

Estão liberados peelings de cristal e de frutas, que realizam apenas uma leve esfoliação

 

A gravidez é um período naturalmente feliz, mas que exige cuidados redobrados com o corpo da mulher, incluindo pele e cabelo. Isso porque, além da maior presença de hormônios femininos e da pele mais oleosa e esticada, os nutrientes precisam ser divididos entre mãe e filho. Durante os três primeiros meses, é natural o aumento na oleosidade da pele, o que pode gerar o surgimento da acne. A saída é realizar uma limpeza de pele por mês e aplicar produtos compostos por peróxido de benzoila e ácido glicólico. Estão liberados peelings de cristal e de frutas, que realizam apenas uma leve esfoliação. Os cremes clareadores, por sua vez, devem ser usados com cautela, com a ressalva de que produtos que contêm vitamina A e derivados podem causar danos ao feto. A oleosidade tende a ser menor nos últimos meses da gestação, mas até lá não é recomendado usar sabonetes de enxofre ou remédios para tratamento da acne. Eles só devem ser usados sob orientação médica. Outro problema que incomoda as mulheres é o surgimento de estrias ou flacidez na região do abdômen, mamas, coxas, nádegas e quadril. As grávidas podem tomar sol, mas com uso de proteção solar em gel ou oil free com fator 25 ou 30. Já a depilação pode ser feita normalmente, com exceção da técnica a laser. Há ainda os cuidados com o cabelo. Para mantê-lo bonito, não é preciso fugir de tinturas; basta ter cuidado na aplicação. As colorações atuais têm composição menos tóxica, livres de amônia e metais pesados, mas há casos de gestantes que sofrem com alergias. Recomenda-se fazer o teste de 24 horas para verificar se o organismo terá alguma reação, além de não aplicar o produto rente à raiz. Aplicar tonalizantes naturais, de preferência à base de hena, evita riscos à saúde, especialmente se for um procedimento seguido de hidratação. Fonte: Dr. Mário Grinblat, dermatologista do Hospital Albert Einstein

Deixe uma resposta