Ácido fólico: bom para você e para seu bebê

É importante que a mulher em idade fértil tenha acesso a uma quantidade adequada de ácido fólico,

 

O que é o ácido fólico? O termo ácido fólico é derivado do latim, significando folhas. Folato é o termo genérico para uma grande família de compostos semelhantes quimicamente. É uma vitamina hidrossolúvel, pertencente ao complexo B, necessária para a formação de proteínas estruturais e hemoglobina. Qual é a sua serventia no corpo humano? Para que ele serve? Em sua forma natural, ou como suplemento dietético ou farmacológico, o folato possui efeito benéfico na prevenção de várias doenças. Testes clínicos controlados estabeleceram os benefícios do folato na prevenção de má-formação do tubo neural, o qual se converte em medula espinhal e cérebro entre os dias 18 a 26 da gestação, período no qual muitas mulheres desconhecem ainda seu estado gravídico. É importante que a mulher em idade fértil tenha acesso a uma quantidade adequada de ácido fólico, pelo menos um mês antes de engravidar. Contudo, como a gravidez nem sempre é planejada, justificam-se medidas de mais largo alcance, como a fortificação de alimentos com este micronutriente. O folato é um fator de grande importância na regulação da concentração plasmática de homocisteína, um aminoácido, cuja presença em alta concentração no plasma é considerada fator de risco para o desenvolvimento de doença cardiovascular. O que sua falta no organismo pode acarretar? Clinicamente, a deficiência severa de folato leva a um tipo específico de anemia, a anemia megaloblástica, surgindo como resultado da falha dos precursores das células vermelhas em se dividir normalmente, uma vez que a anemia resultante não é a única manifestação da diminuição da divisão celular. Há também números menores de plaquetas e células brancas. A ingestão inadequada de folato tem participação no desenvolvimento de certos tipos de câncer. O metabolismo do folato deve se adaptar durante a gravidez a várias influências fisiológicas fetais e maternas que mudam durante a gestação. A ingestão adequada de folato é essencial durante a gestação para assegurar crescimento normal e desenvolvimento do feto. A redução do riso de ocorrência de má-formação do tubo neural pela suplementação de ácido fólico foi provada por ensaios controlados e o mecanismo pelo qual isso ocorre durante a fase crucial de desenvolvimento embrionário é desconhecido. É usado em algum tipo de tratamento de saúde? É utilizado no tratamento da anemia megaloblástica e na diminuição dos níveis de homocisteína. O Ácido Folínico, um dos muitos derivados ativos do ácido fólico obtido por redução química, é utilizado no tratamento de HIV por meio de terapia anti-retroviral. O metotrexato empregado no tratamento de câncer e artrite reumática e a pirimetamina empregada no tratamento de toxoplasmose e malária são antagonistas do ácido fólico. Algumas drogas inibem por competição o transporte de ácido fólico como a sulfassalazina, usada para o tratamento de colite ulcerativa, a trimetropina, um antimicrobiano e a pirimetamina, um antiprotozoário necessitando nesses casos de suplementação com ácido fólico. Em que alimentos o ácido fólico é encontrado? Folatos são encontrados em vegetais de folhas verdes, mas outros vegetais e frutas, por exemplo, couve-flor e laranjas, são boas fontes. Além destes, fígado, fungos e cerveja são fontes de folatos. Vegetais como brócolis e espinafre são ótimas fontes. Quanto se deve ingerir de ácido fólico por dia para se manter saudável? As recomendações nutricionais de 1989 indicavam um consumo de 0,18mg/dia para mulheres adultas e de 0,4mg/dia para gestantes. Em 1992 o Centers for Diseases Control and Prevention (CDC) recomendou para as mulheres que planejassem engravidar e com história familiar negativa de defeitos do tubo neural a ingestão de 0,4mg/dia, mas para aquelas com alto risco (história prévia de filhos com defeitos do tubo neural) a recomendação era dez vezes maior: 4mg/dia. Em 2000, o Institute of Medicine, dos Estados Unidos, elevou as recomendações nutricionais e estabeleceu 0,4mg/dia para mulheres e 0,6mg/dia para gestantes. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) publicou regulamento técnico sobre a ingestão diária recomendada de proteína, vitaminas e minerais em 2005 que, no caso do ácido fólico, é equivalente ao proposto pelo Institute of Medicine em 2000. Considera-se difícil alcançar os requerimentos de folato com uma dieta normal equilibrada (sem alimentos fortificados), pois esta fornece cerca de 0,25mg/dia, considerando o valor energético total de 2.200Kcal diárias. Dra. Fernanda Aparecida Domenici Biomédica Doutora em Ciências Médicas e Pesquisadora da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP

Deixe uma resposta